Communard

Políticas, economias e ideologias

Archive for the ‘Política’ Category

Guerra Cambial: o que fazer?

leave a comment »

A Guerra Cambial foi declarada, a omissão é nossa maior ameaça. O governo Dilma tem muitas boas condições com um congresso de maioria qualificada, recursos crescentes com o pré-sal e por fim, uma conjuntura social favorável com grande apoio popular. Mas temos uma guerra cambial colossal onde tudo pode acontecer,onde os EUA não pedem licença para atacar como provou ao injetar 600 bilhões. Temos que enfrentar essa guerra com a mesma tenacidade com que enfrentamos a crise financeira internacional e vencemos.

O primeiro a fazer é não temer as pressões das mídias conservadoras, quando vencemos a crise financeira internacional e provamos a tese da marolinha, tivemos uma campanha diuturna das mídias conservadoras e dos tucanos, vencemos porque não nos constrangemos a fazer o que era preciso. Só temos uma opção, vencer. Se perdermos seguindo o que prescrevem, eles não farão mea-culpa.

Todas as medidas abaixo tem relação com o IOF na tentativa de criar uma barreira contra a avalanche de dólares especulativos. A mensagem ao mercado será a de que o Governo está em permanente prontidão contra qualquer cenário do mercado internacional.

1. Expandir a temporalidade do imposto de 30 dias para 6 meses.

2. Realizar uma regressividade-temporal através de uma equação de variável diária

3. A taxa máxima, dia 1, deve ser de no mínimo 25% e a taxa mínima é 0% depois dos 6 meses

4. Expandir o IOF para todas as operações de entrada de capitais, sem exceções

5. O caráter emergencial deixará claro a prontidão e vigor do governo para vencer essa guerra.

Sem isso estamos correndo risco. Seria o cúmulo da ingenuidade achar que os EUA deixarão de exportar a crise depois que perceberam não serem capaz de constranger a China a sacrificar seu próprio crescimento. Mas com a ação já transformaram a China no bode expiatório de sua sabotagem internacional. Eles assumiram o compromisso com o Dólar forte quando assumiram o papel de emissores da moeda internacional. Entre esse compromisso e os interesses próprios, o que vocês acham que os EUA escolherão?

Written by ocommunard

9 de novembro de 2010 at 12:06

Publicado em Economia, Política

Dilma e a composição ministerial dos sonhos

with 3 comments

Abaixo a composição ministerial dos sonhos de todos os brasileiros. É um sonho é verdade, mas também foi um sonho termos uma mulher presidente, assim como um operário. O sonho é de graça e as vezes se realiza. Talvez seja como dizia Raul Seixas, “sonho que se sonha só, é só um sonho que se sonha só, mas sonho que se sonha junto é realidade”.

Ministro da defesa: Waldir Pires
Ministro da fazenda: Maria da Conceição Tavares, Guido Mântega(continuar) ou Paulo Nogueira Batista Jr.
Ministro da Educação: Cristóvam Buarque
Ministro da Justiça: Protógenes Queiroz
Ministro do Desenvolvimento Agrário: Plínio de Arruda Sampaio
Ministro das Comunicações: Altamiro Borges ou Paulo Henrique Amorim
Ministro do Trabalho: Carlos Lupi ou Ladislau Dowbor
Ministro da Cultura: Marilena Chauí ou Chico Buarque
Ministro do esporte: Carlos Alberto Nuzman
Ministro das Relações Exteriores: José Maurício Bustani [1]
Ministro da Casa Civil: Marcos Aurélio Garcia
Ministro da Saúde: Adib Jatene

Presidente do BC: Luiz Gonzaga Belluzzo ou Luis Nassif
Presidente do BNDES: Carlos Lessa ou Coutinho(continua)

Secretaria da Comunicação Social: Ciro Gomes

Novo ministro do STF: Fausto de Sanctis

[1] trabalhava na ONU e foi demitido por pressão do governo Bush por não querer fazer parte da farsa das “armas de destruição em massa no Iraque”, como depois se provou que não existira. Seria uma demonstração de justiça e soberania se ele fosse escolhido.

Written by ocommunard

4 de novembro de 2010 at 10:52

Publicado em Política

"Por mais alto que um tucano voe, nunca alcançará uma estrela"

leave a comment »

Por Communard,

Os tucanos, raça de seres esnobes sem escrúpulos que tentaram todo o tipo de trapaça possível e inimaginável nessas eleições para tentar ganhar essas eleições, onde o cúmulo foi a “tomografia da fita crepe”. Só que na sua sede insaciável de poder, entre o desejo e o prazer da dominação, existia algo, o povo. O povo que não se deixou enganar, que não deu crédito as baixarias, que não se iludiou com o total aparalhemento tucano das grandes mídias. O povo que, a despeito das próprias falhas de comunicação da campanha petista, resitiu em seu voto progressista, lucidamente, enxergando sempre muito além dos outdoos.

Ultimamente, a presunçosa carta aberta de FHC endereçada ao Lula, foi respondida magistralmente por um amigo do próprio FHC, mas que não suportou tanta sordidez e cinismo nas falsidades levantadas pela carta aberta. O professor Theotonio dos Santos, da Universidade Federal Fluminense, desmistificou todas as falácias que rodeiam o discurso tucano e que domina por todos os poros da Globo, Veja e Folha.

O primeiro mito é do fim da Inflação, afirma ele que “todas as economias do mundo apresentaram queda da inflação para menos de 10%”, e em comparação com o resto do mundo o Brasil tucano teve “UMA DAS MAIS ALTAS INFLAÇÕES”. Sobre o mito “da moeda forte”, ironiza “uma moeda que se desvaloriza 4 vezes em 8 anos pode ser considerada uma moeda forte?”. Sobre a falácia da “responsabilidade fiscal”, ele responde “um governo que elevou a dívida pública do Brasil de uns 60 bilhões de reais em 1994 para mais de 850 bilhões de dólares quando entregou o governo ao Lula, oito anos depois, é um exemplo de rigor fiscal? Gostaria de saber que economista poderia sustentar esta tese. Isto é um dos casos mais sérios de irresponsabilidade fiscal em toda a história da humanidade”.

Acusa a brutal dominação tucana das grandes mídias (Globo e Veja) afirmando “e por mais que vocês tenham alcançado o domínio da imprensa brasileira, devido a suas alianças internacionais e nacionais, está claro que isto não poderia assegurar ao PSDB um governo querido pelo nosso povo”.

Segue criticando a “brutal concentração de renda” que se agravara. Ao criticar o discurso de FHC de que a responsabilidade do ameaça que Lula representava, ele refuta afirmando que a economia da Era tucana tinha os “mais altos índices de risco do mundo”, “endividamento interno colossal”, os “juros mais altos do mundo”. E conclui: “um fracaço econômico rotundo. (…) Fernando, o Lula não era ameaça de caos. Você era o caos”.

Adiante, ele ressalva que “apesar de tudo isto, me dá pena colocar em choque tão radical uma velha amizade. Apesar deste caminho tão equivocado, eu ainda gosto de vocês (e tenho a melhor recordação de Ruth) mas quero vocês longe do poder no Brasil”.

Written by ocommunard

29 de outubro de 2010 at 16:19

Publicado em Ideologia, Política

Contra ofensiva democrática contra um novo 1964!

leave a comment »

Nunca imaginei que a história do golpe de 1964 se repetiria no Brasil, e ainda de maneira tão literal e farsesca, exatamente todos os passos e discursos, agora na boca daqueles que naquele momento eram alvos do golpe militar. Tudo pela mesquinha vergonha de uma derrota eleitoral acachapante, tudo por se demonstrarem mau perdedores. Eles querem se vingar do povo roubando seu poder, a democracia. Em 1964 foi assim…

Temos urgentemente que concentrarmos e mobilizarmos todas as forças que ainda detemos para imediatamente apagar esse perigo, para evitarmos as hesitações de Jango que acabou viabilizando o golpe de 1964. Não podemos mais cairmos nos mesmos erros por apenas confiarmos nas forças que agora detemos, ignorar a ameaça futura que essa mobilização golpista pode desencadear. Não podemos ceder nem um centímetro, tudo está em jogo! Temos grandes forças do nosso lado, é hora de mobilizarmos essas forças enquanto as temos, antes que seja tarde demais.

ELEIÇÃO SE GANHA NO VOTO! CONTRA O GOLPISMO DA MÍDIA TUCANA!
CONTRA O UDENISMO TUCANO DE GLOBO, VEJA, ESTADÃO E FOLHA !

I – Articulação social
– militância: mobilizar totalmente a militância, toda! de todos os partidos coligados para engajar cotidianamente pela campanha, todas as energias internas dos partidos devem ser posta em movimento, com todo o empenho.
– sociedade organizada: todos os sindicatos, movimentos, estudantes, ongs devem se mobilizar em manifestações cotidianas, depois da jornada, contra o golpe midiático; colocando faixas “1964 nunca mais!”, “O poder é do povo”, “contra a baixaria eleitoral”, “Abaixo o terrorismo eleitoral!”, “Eleição se ganha no voto!”, “Abaixo o udenismo!”.
– estimular os eleitores, 51%, para que coloquem bandeiras vermelhas, e dessa forma usar uma propaganda expontânea social que terá um efeito em cadeia incrível… essa bandeira em cada janela será um contra-peso contra a onipresença da tv, com uma vantagem, a bandeira na janela é um ato de convicção expontânea, tem um impacto maior como propaganda, como publicidade, como comunicação política.

II – Articulação civil
– um abaixo assinado de todos os intelectuais, juristas, artistas, figuras internacionais, contra o udenismo na mídia denunciando sobretudo o encontro no Clube da Aeronáutica com o discurso francamente golpista do candidato José Serra, ele chegou a tratar de uma “República Sindicalista”, que foi o mote do golpe de 1964.
– conclamar as outras mídias de massa a não embarcarem na campanha da Globo, Veja, Estadão e Folha que são a ponta de lança dos factóides tucanos sobre a suposta ameaça a liberdade de expressão;
– conclamar as mídias na internet a entrarem na campanha contra o “udenismo tucano”.

III – Articulação política
– chamar o PSDB as falas, sobretudo o mentor FHC, para que cessem com a campanha golpista, e que caso contrário, que eles tenham consciência das conseqüências, porque nós não assistiremos parados. As conseqüências será uma guerra civil, Lula não é Jango, e não repetiremos a hesitação de Jango.
– chamar todos os partidos da esquerda e o PV para que entre no movimento suprapartidário pela campanha “eleição se ganha no voto”, para que assinem o abaixo assinado contra o “udenismo” e descarado favorecimento tucano praticado pelas quatro maiores famílias: Folha, Estadão, Veja e Globo.
– indicar ao PIG que o Lula irá usar todo seu prestígio internacional para denunciar a conspiração das grandes mídias contra ele, que está se formando no Brasil um novo golpe hondurenho

Marx dizia, citando Hegel, que os grandes momentos da história sempre se repetem, mas a primeira como tragédia e a segunda como farsa. Tudo indica que esse novo 1964 é uma farsa, mas não podemos nos dar ao luxo de pagar para ver, o Bonaparte II, em que Marx citava como paródia do primeiro no exemplo da farsa, teve um custo de sangue alto para a sociedade francesa.

Apelo para que todos os progressistas do país lutem para banir completamente não só a ação golpista, mas a prática golpista, para que nunca mais tenhamos que nos submeter a ela – nunca mais. Espero que os partidos de esquerda assumam a sua responsabilidade, assim como Marina Silva, que infelizmente está demonstrando uma profunda sordidez oportunista.

Written by ocommunard

23 de setembro de 2010 at 13:26

Publicado em Política

O mensalão da mídia !!!

with 12 comments

No Diário Oficial do governo de São Paulo na gestão Serra, foi descoberto o maior esquema de compra de órgãos de imprensa já registrado na história da república. É o fato que comprova a total cumplicidade das grandes mídias e a candidatura do tucano José Serra nessas eleições: em destaque Veja, Globo, Folha e Estadão. O esquema aparentemente tinha por missão desgastar o governo Lula para atrapalhar a sua sucessão, mas agora age como tropa de choque para desgastar a candidata petista, enquanto encobre ou dá pouco espaço a notíciais que atinjam a candidatura tucana.

Veja alguns desses contratos encontrado no Diário Oficial do governo tucano:

27/maio/2010
Contrato: 15/00548/10/04
– Empresa: Editora Brasil 21 Ltda.
– Objeto: Aquisição de 5.200 Assinaturas da “Revista Isto É” – 52 Edições – destinada as escolas da Rede Estadual de Ensino do Estado São Paulo – CEI e COGSP – Projeto Sala de Leitura
– Prazo: 365 dias
– Valor: R$ 1.203.280,00
– Data de Assinatura: 18/05/2010

28/maio/2010
Contrato: 15/00545/10/04
– Empresa: S/A. O ESTADO DE SÃO PAULO
– Objeto: Aquisição de 5.200 assinaturas do Jornal “o Estado de São Paulo” destinada as escolas da Rede Estadual de Ensino do Estado São Paulo – Projeto Sala de Leitura
– Prazo: 365 dias
– Valor: R$ 2.568.800,00
– Data de Assinatura: 18/05/2010.

29/maio/2010
Contrato: 15/00547/10/04
– Empresa: Editora Abril S/A
– Objeto: Aquisição de 5.200 assinaturas da Revista “VEJA” destinada as escolas da Rede Estadual de Ensino do Estado São de Paulo – CEI e COGSP – Projeto Sala de Leitura
– Prazo: 365 dias
– Valor: R$ 1.202.968,00
– Data de Assinatura: 20/05/2010.

8/junho/2010
Contrato: 15/00550/10/04
– Empresa: Empresa Folha da Manhã S.A.
– Objeto: Aquisição pela FDE de 5.200 assinaturas anuais do jornal “Folha de São Paulo” para as escolas da Rede Estadual de Ensino do Estado de São Paulo – CEI e COGSP – Projeto Sala de Leitura
– Prazo: 365 dias
– Valor: R$ 2.581.280,00
– Data de Assinatura: 18-05-2010.

11/junho/2010
Contrato: 15/00546/10/04
– Empresa: Editora Globo S/A.
– Objeto: Aquisição pela FDE de 5.200 assinaturas da Revista “Época” – 43 Edições, destinados as escolas da Rede Estadual de Ensino do Estado de São Paulo – CEI e COGSP – Projeto Sala de Leitura
– Prazo: 305 dias
– Valor: R$ 1.202.968,00

A maior beneficiada no esquema foi a editora Abril, que é proprietária do maior seminário do país, a Revista Veja. Não por acaso é o órgão de imprensa que mais ataca o governo Lula e mantém permanentemente capas destrutivas contra a candidatura petista.

– DO [Diário Oficial] de 23 de outubro de 2007. Fundação Victor Civita. Assinatura da revista Nova Escola, destinada às escolas da rede estadual. Prazo: 300 dias. Valor: R$ 408.600,00. Data da assinatura: 27/09/2007. No seu despacho, a diretora de projetos especial da secretaria declara ’inexigível licitação, pois se trata de renovação de 18.160 assinaturas da revista Nova Escola’.

– DO de 29 de março de 2008. Editora Abril. Aquisição de 6.000 assinaturas da revista Recreio. Prazo: 365 dias. Valor: R$ 2.142.000,00. Data da assinatura: 14/03/2008.

– DO de 23 de abril de 2008. Editora Abril. Aquisição de 415.000 exemplares do Guia do Estudante. Prazo: 30 dias. Valor: R$ 2.437.918,00. Data da assinatura: 15/04/2008.

– DO de 12 de agosto de 2008. Editora Abril. Aquisição de 5.155 assinaturas da revista Recreio. Prazo: 365 dias. Valor: R$ 1.840.335,00. Data da assinatura: 23/07/2008.

– DO de 22 de outubro de 2008. Editora Abril. Impressão, manuseio e acabamento de 2 edições do Guia do Estudante. Prazo: 45 dias. Valor: R$ 4.363.425,00. Data daassinatura: 08/09/2008.

– DO de 25 de outubro de 2008. Fundação Victor Civita. Aquisição de 220.000 assinaturas da revista Nova Escola. Prazo: 300 dias. Valor: R$ 3.740.000,00. Data da assinatura: 01/10/2008.

– DO de 11 de fevereiro de 2009. Editora Abril. Aquisição de 430.000 exemplares do Guia do Estudante. Prazo: 45 dias. Valor: R$ 2.498.838,00. Data da assinatura: 05/02/2009.

– DO de 17 de abril de 2009. Editora Abril. Aquisição de 25.702 assinaturas da revista Recreio. Prazo: 608 dias. Valor: R$ 12.963.060,72. Data da assinatura: 09/04/2009.

– DO de 20 de maio de 2009. Editora Abril. Aquisição de 5.449 assinaturas da revista Veja. Prazo: 364 dias. Valor: R$ 1.167.175,80. Data da assinatura: 18/05/2009.

– DO de 16 de junho de 2009. Editora Abril. Aquisição de 540.000 exemplares do Guia do Estudante e de 25.000 exemplares da publicação Atualidades – Revista do Professor. Prazo: 45 dias. Valor: R$ 3.143.120,00. Data da assinatura: 10/06/2009.
Negócios de R$ 34,7 milhões.

Somente a revista Veja e mais 4 “pedagógicas” foram responsáveis pelo assalto de mais de 34 milhões dos cofres públicos dos contribuintes paulistas. A revista Nova Escola, que está sob investigação do Ministério Público Estadual, tem 1/4 de suas vendas na conta do governo Serra, são 220 mil assinatural que engordaram em mais de R$ 3,7 milhões os caixas da editora Abril.

O esquema ardioloso não só tem como função aparelhar os meios de comunicação regados com dinheiro público, como ainda através da própria compra distribuir nas escolas essas imprensa aparelhadas. Isto é, não se trata apenas de aparelhar os maiores meios de comunicação do país, mas de usar o sistema escolar para disseminar publicações tendenciosas como propaganda política disfarçada de noticiário, sobretudo, como arma de difamação contra adversários políticos.

Enquanto as mídias atacam hipocritamente o PT e o governo Lula acusando de ameaçar a imprensa e querer controlá-la, distorcendo a proposta de controle social da mídia que é uma cláusula constitucional e estava presente no PNAD do governo FHC – vemos que na verdade estão na verdade fazendo a defesa de seu atual controle, o controle tucano – e o povo paulista está ainda tendo que pagar para sofrer lavagem cerebral. Absurdo?

Quem na grande mídia romperá o silêncio e denunciará esse crime político hediondo?

Fonte: Diário Oficial do governo de São Paulo

Créditos (em resposta a solicitação de Jofre Roldão):
NaMariaNews
Blog do Miro
http://blogdadilma.blog.br/

Written by ocommunard

22 de setembro de 2010 at 18:45

Pesquisas eleitorais, uma análise crítica…

leave a comment »

O diagnóstico do comitê de campanha do Serra(PIG) sobre sua sucessiva queda é a de que faltaria agressividade em sua campanha, de que ele deve sair do discurso pós-lulista, de que deve retornar ao terrorismo reacionário anti-FARCs, anti-MST, anti-sindical, anti-chavista, anti-esquerda, etc. Mas analisemos friamente os números…

O diagnóstico do comitê de campanha do Serra(PIG) sobre sua sucessiva queda é a de que faltaria agressividade em sua campanha, de que ele deve sair do discurso pós-lulista, de que deve retornar ao terrorismo reacionário (…).

Segundo o Ibope, o governo Lula tem 78% de bom/ótimo, 18% de regular e 4% de ruim/péssimo. Isto é, a militância da mídia anti-petista corresponde a 4% – seria o eleitorado direto do Serra. Enquanto os 18% seriam um campo de disputa. Disponível diretamente ao discurso opositor estariam 22% (18+4), um segmento que seria concorrido ainda por todos os outros candidatos alternativos a candidatura governista.

Disponível diretamente ao discurso opositor estariam 22% (18+4), um segmento que seria concorrido ainda por todos os outros candidatos alternativos (…).

É importante frisar que essa aprovação do governo foi conquistada com 8 anos de permanente, feroz e facciosa oposição midiática, que arrebanhou apenas 4% da população.

Os 78% são uma potencial reserva eleitoral da candidatura de Dilma, isto é, qualquer resultado eleitoral governista abaixo desse valor é responsabilidade da fraca comunicação governista, pois são 78% de eleitores franco apoiadores do governo que ela representa. Cada voto a menos que esse patamar é fracasso da comunicação petista, não da tucana – um diagnóstico que a oposição midiática anti-petista não admite.

Os 78% são uma potencial reserva eleitoral da candidatura de Dilma. (…) Cada voto a menos que esse patamar é fracasso da comunicação petista, não da tucana- um diagnóstico que a oposição midiática anti-petista não admite.

O lulismo de Serra é sua única chance – ainda que agrida frontalmente a militância das mídias colossais que o apóia. Mas para Serra esse apoio é eleitoralmente descartável, insignificante e até perigoso. Não só tem de se afastar da oposição ao Lula, com deve até mesmo afagá-lo, engrandecê-lo, viementemente. Ele precisa desesperadoramente não ser o candidato dos 4% sob a pena de receber a maior derrota eleitoral de seu partido. E estamos falando do maior cacique tucano da atualidade, da candidatura mais eleitoralmente forte da oposição (segundo as próprias pesquisas).

Ele precisa desesperadoramente não ser o candidato dos 4% sob a pena de receber a maior derrota eleitoral de seu partido.

Serra, não podendo se apresentar como governista(como Dilma), tem de rebolar para ser convincente na imagem de um lulista maior que a Dilma. Para tal, tem antes de personificar no Lula toda aprovação ao governo petista. Aqui Lula tentará fazer o inverso, transformar a conquista do governo petista em um trabalho de equipe. Por outro lado, a idolatria lulista vai criar úlceras na mídia serrista. A antropormofismo do governo petista, serveria ao Serra também para o separar do FHC. Só depois disso, lutaria para se apropriar do lulismo, agora transformado em algo totalmente individualizado, independente de partido, governo e equipe. Em outras palavras, o culto a personalidade de Lula pelo Serra deve estrapolar ao limite do razoável da própria campanha governista, essa é a única bala que lhe resta. No entanto, essa estratégia não menos que massacra impiedosamente todo o bordado ideológico custurado nos últimos 8 anos pelas mídias conservadoras anti-esquerdistas.

(…) o culto a personalidade de Lula pelo Serra deve estrapolar ao limite do razoável da própria campanha governista, essa é a única bala que lhe resta.

Imaginem a revista Veja, fanática opositora a tudo que tenha o carimbo do Lula, reproduzindo elogiosamente um discurso de Serra rasgadamente elogioso ao Lula! Como se comportariam os leitores mais fiéis a revista? Claro, para a Veja e o Serra, o poder vem antes do escrúpulo, mas será que a Veja não teme perder seu rebanho anti-esquerdista tão assiduamente doutrinado em 8 anos de governo bem sucedido da centro-esquerda?

mas será que a Veja não teme perder seu rebanho anti-esquerdista tão assiduamente doutrinado em 8 anos de governo bem sucedido da centro-esquerda?

Esse é um termor da Veja e da aliança midiática conservadora. O termor do Serra é outro: é perder essas eleições de um modo arrasadoramente humilhante, ameaçando até sua sobrevivência política. É por essa razão que o Estadão, por exemplo, dá tanto espaço ao vice do Serra, Índio da Costa, que faz o papel de anti-petista, preservando o Serra desse papel suicida e preservando o Estadão seu próprio discurso. No entanto, o Serra está entre a cruz e a espada, entre assumir o papel midiático-reacionário se opondo ao triunfante petismo e o papel lulista-antimidiático se afastando de seus maiores apoiadores, está entre perder as mídias e perder as eleições.

O termor do Serra é outro: é perder essas eleições de um modo arrasadoramente humilhante, ameaçando até sua sobrevivência política

Entre as muitas polêmicas levantadas pelo comitê midiático pró-Serra, uma sempre se destaca: a desqualificação de pesquisas que não favoreçam o Serra. Apesar de que a mais atacada Vox Populi sempre acabar indicando o que as outras indicam mais cedo ou mais tarde, só as urnas dirão quem esteve mais próximo da verdade: a Vox Populi ou a DataFolha. E se a Vox Populi for nas urnas a voz do povo, o que será do DataFolha? Terá o mesmo destino do Serra ou mesmo destino de seus correligionários midiáticos? Para a centro esquerda nisso tudo já se sente bem recompensada em ver tudo aquilo que a mídia tucana atacou por 8 anos, inclusive o Lula, sem defendido por seu candidato presidencial sem meias palavras.

Para a centro esquerda nisso tudo já se sente bem recompensada em ver tudo aquilo que a mídia tucana atacou por 8 anos, inclusive o Lula, sem defendido por seu candidato presidencial sem meias palavras.

Written by ocommunard

18 de agosto de 2010 at 16:18

Publicado em Política

A midiocracia tucana: um cântico golpista…

leave a comment »

A política desenvolvimentista dos tucanos não visa o crescimento do PIB, mas o crescimento do PIG (Partido da Imprensa Golpista). Antes de tudo, essa argumentação é baseada nas referências que cito no fim do artigo. Qualquer questionamento sobre os fundamentos e materialidade deste artigo está nos links.

Porque a mídia encobre a promessa do Serra de que se ele não cumprisse o mandato de prefeito (o que não o fez), ninguém nunca mais votasse nele? Porque as declarações de Serra sobre a apologia da “traição, porém com discrição” não levantaram nenhum arroubo moralista nos puritanos “colonistas” da Veja? Porque as mídias não estampam escandalosamente a falsa autoria do FAT e seguro desemprego, sem falar dos genéricos, programa de AIDS e até mesmo de seu diploma de economista que, no mínimo, não tem validade nacional?

O que está havendo? Que tipo de regime é esse de concubinato imoral entre um candidato e as grandes mídias de massa? Que cria a cada dia factóides para atingir o governo petista enquanto esconde os escândalos tucanos?

Quem não se lembra do “mensalão” de que até hoje o PT é acusado como se fosse um fato provado e inquestionável, sendo que o único fato concreto descoberto na CPI foi caixa-2, no chamado esquema valerioduto. Um esquema que se iniciou inclusive no PSDB mineiro! Apesar disso, toda esses crápulas prostituídos repetem cotidianamente a demonização do PT e a canonização do PSDB, apesar de ambos estarem ligados ao mesmo fato que, facciosamente, as mídias de massa justificam a demonização.

Que tipo de regime é esse figurado nessa relação promíscua entre as mídias de massa e Serra? Quando o governo federal que detém 70%* da arrecadação tributária nacional gasta em verba públicitária em 2009 algo em torno de R$ 155 milhões*, enquanto o governo Serra, somente ele, gastou em 2009 R$ 277 milhões*. Um único estado da federação gastou quase o dobro em verba publicitária do que o governo federal, mesmo tendo o governo federal 70% dos recursos de tributação! Isso é um escândalo ou não é? Você acha que a mídia de massa criticará uma corrupção aonde ela é diretamente beneficiária?

Abuso de poder? Suborno? Mensalão? Bolsa mídia? Corrupção? Cooptação? Não se trata apenas disso, é mais de que um golpe de Estado, mas uma destruição das instituições democráticas – quando o direito a informação é corrompido ou fraudado, a democracia não existe, pois é a informação que forma a opinião do eleitor que se materializará no voto. Mas eles sabem disso, apesar da resistência heróica dos internautas progressistas que estão fazendo a diferença…

Que regime é esse de controle total dos meios de comunicação de massa? Na história ele já se repetiu e foi conhecido como nazifascismo. Atualmente o seu maior representante é nada  menos do que: Berlusconi. Berlusconi é a direita do século XXI. Quando dizemos Berlusconi, midiocracia, corrupção, ainda apenas tateamos. De que estamos falando? Criminalização dos movimentos sociais!? Perseguição raivosa da esquerda!? Controle absoluto das mídias de massa!? Terrorismo psicológico!? Ideologia de direita!? O que escrevi aqui não foi o programa do PSDB, ainda que tenha semelhanças evidentes, mas o programa literal de Hitler.

Mas não é um cântico ideológico, seria ingenuidade apostar nisso – porque todos eles sabem que Serra é de esquerda, que FHC era um marxista, que o PSDB é um partido socialista – ou social democracia quer dizer neoliberalismo? E que quem pratica o radicalismo são eles: a direita histérica, fanática e injuriosa… Eles sabem disso, a questão é tão somente o “vil metal” jorrado dos cofres públicos. Tudo se repete, com uma precisão quase fatídica… O controle midiático, o Hitler (Serra), a histeria reacionária, a inércia do governo de esquerda, acriminalização dos movimentos sociais, a perseguição raivosa dos esquerdistas, etc…

Nessa encruzilhada está solitariamente o trabalhador, armado com suas instituições de classes de um lado(sempre atacadas pela camarilha), e por outro lado por seus blogs na Internet(com uma circulação insignificante comparado ao conglomerado midiático). A Internet é guerrilha: descentralizada, ágil, imprevisível, pequena, localizada… Essa é sua força e sua fraqueza. Porém, uma vez a guerrilha venceu; nós conhecemos bem essa história. E Cuba continua resistindo.

Ainda que Dilma ganhe, e tudo indica que ela vencerá com folga, essa de longe não é a questão, passa ao largo do crucial (ainda que eleitoralmente tudo possa acontecer). A cada dia fica cada vez mais claro que a vitória da Dilma será o estopim de uma ação direta golpista da direita. As ameaças de impugnação da candidatura Dilma é em si a resposta a isso, é a prova e a explicação. Nítido, claro e transparente: esse é o germe do golpe…

Ela não terá sua candidatura impugnada antes de ser eleita; esse é um erro gravíssimo da esquerda se imaginar isso, tudo que o judiciário reacionário está fazendo é martelando na sociedade o resultado, amortecendo o impacto. Como assim!? Sua candidatura será impugnada a posteriori***, de modo a lançar o poder nas mãos do seu vice, o Michel Temer, que tem relações históricas do PSDB (O PSDB nasceu do PMDB). Ora, um governo Temer seria um golpe suave que retiraria o PT do poder, ao mesmo tempo em que, por aliança ao PMDB, não poderá ir para as ruas protestar contra o golpe. Terá de admitir ser governado pelo PMDB e esperar quatro anos para tentar novas eleições. Obviamente, o Temer exigirá do PT o apoio para sua reeleição, serão oito anos de governo do PMDB com um PT dócil e um PSDB tentando retomar seu espaço, o que será facilitado pelas relações de amizades históricas entre Michel Temer e o tucanato, além da ação permanente da midia com a qual Michel Temer não tem nenhum pendor heróico em querer enfrentar, e convenhamos, nem mesmo Lula e Dilma a enfrentaram.

Que todos os trabalhadores fiquem de sobre aviso, esse é o golpe – não há outro. Se o governo e a sociedade mobilizada não se adiantar na luta pela desconcentração da mídia e democratização do judiciário, nossa democracia estará sempre a um passo do abismo – e isso não se trata mais de uma hipótese, mas de fatos publicados, não se trata de declarações, mas de ações efetivas noticiadas(*,**,***).

Quem não se lembra do slogan lacerdista contra JK? “Não pode ganhar; se ganhar, não deve tomar posse; se tomar posse não deve governar”. Estamos na primeira sentença: “não pode ganhar”, e para tal, usam toda sua artilharia caluniosa contra a Dilma e a favor do Serra. Mas se mesmo assim ganhar, como está parecendo, o “se ganhar não toma posse” cabe a Sandra Cureau**, que já deixou publicado em todas as mídias como aplicará a sentença (impugnação de candidatura)**. Mas se mesmo assim ela tomar posse? Como aplicarão a terceira sentença? Não há resposta, porque acreditam que a Sandra Cureau resolverá já na segunda sentença***.  Inclusive, ela já abriu o seu voto****.

Fonte:

Written by ocommunard

21 de julho de 2010 at 1:35

Publicado em Política