Communard

Políticas, economias e ideologias

Archive for the ‘Cultura’ Category

Pesquisa identifica ‘esquerdizaçao’ dos americanos

leave a comment »

Uma pesquisa de opinião pública realizada pelo Conselho de Assuntos Globais de Chicago, EUA, revela que em geral a maioria dos estadunidenses se opõe a ações militares contra o Irã e se mostra a favor de um enfoque mais imparcial com respeito à paz no Oriente Médio.

A pesquisa demonstra que menos de um quinto dos estadunidenses apoiaria um ataque dos Estados Unidos contra o Irã caso esse país continue desenvolvendo seu programa nuclear.

Por outro lado, 66 % dos entrevistados afirmam que desejam que os Estados Unidos mantenham uma posição neutra no conflito entre Israel e a Palestina.

Segundo o Conselho de Assuntos Mundiais de Chicago, a pesquisa compilou os seguintes dados sobre diferentes assuntos:

Nove de cada dez estadunidenses pensam hoje que é mais importante para o futuro dos Estados Unidos solucionar os agudos problemas internos para somente depois abordar os desafios dos Estados Unidos no exterior. Há uma diminuição no apoio às bases militares dos EUA no Japão (-8%), Alemanha (-7%), Iraque (-7%), Turquia (-7%) e Afeganistão (-5%) em comparação com 2008.

Somente a quarta parte dos estadunidenses pensa que o país desempenha um papel mais importante e poderoso como líder mundial hoje em comparação com dez anos atrás, uma forte queda em comparação com 2002.

Mais de dois terços dos estadunidenses pensa que o fato de que países como a Turquia e o Brasil se tornem mais independentes dos Estados Unidos na condução de sua política externa, é algo positivo porque serão menos dependentes dos Estados Unidos.

Os estadunidenses veem poucas oportunidades para a política dos EUA em relação ao Irã se este continua com seu programa de armas nucleares. Somente 18% consideram que os Estados Unidos deveriam levar a cabo um ataque militar contra as instalações de energía nuclear do Irã nas condições atuais.

A esmagadora maioria crê que um ataque militar traria como resultado mais ataques de grupos hostis aos Estados Unidos e ataques de represália contra objetivos dos EUA. no Oriente Médio.

A maioria dos estadunidenses pensa que se Israel bombardear instalações nucleares iranianas, o Irã vai adotar represálias contra Israel, e os dois entrarão em guerra. Consideram que os Estados Unidos não devem pôr suas forças militares do lado de Israel e contra o Irã, e que deve manter uma posição neutra com respeito à Palestina.

51% crêem que a maioria dos muçulmanos são como qualquer outro grupo religioso, e portanto é possível encontrar um terreno comum e os conflitos violentos entre as civilizações não é inevitável.

Apesar disso, 45% dos entrevistados disseram que devido às tradições religiosas, sociais e políticas, os muçulmanos são incompatíveis com os costumes ocidentais, pelo que os conflitos violentos entre as duas civilizações são inevitáveis, um aumento de 18 pontos percentuais desde 2002.

Numa enorme diferença em comparação com 2006, 67% dos estadounidenses agora entendem que a China empresta mais dinheiro aos Estados Unidos do que estes à China. Em 2006, quando a questão foi formulada pela última vez, este percentual era de apenas 24%. 51% dos estadunidenses consideram esta dívida como uma ameaça crítica à segurança nacional.

Anúncios

Written by ocommunard

22 de setembro de 2010 at 19:00

Publicado em Cultura

O mensalão da mídia !!!

with 12 comments

No Diário Oficial do governo de São Paulo na gestão Serra, foi descoberto o maior esquema de compra de órgãos de imprensa já registrado na história da república. É o fato que comprova a total cumplicidade das grandes mídias e a candidatura do tucano José Serra nessas eleições: em destaque Veja, Globo, Folha e Estadão. O esquema aparentemente tinha por missão desgastar o governo Lula para atrapalhar a sua sucessão, mas agora age como tropa de choque para desgastar a candidata petista, enquanto encobre ou dá pouco espaço a notíciais que atinjam a candidatura tucana.

Veja alguns desses contratos encontrado no Diário Oficial do governo tucano:

27/maio/2010
Contrato: 15/00548/10/04
– Empresa: Editora Brasil 21 Ltda.
– Objeto: Aquisição de 5.200 Assinaturas da “Revista Isto É” – 52 Edições – destinada as escolas da Rede Estadual de Ensino do Estado São Paulo – CEI e COGSP – Projeto Sala de Leitura
– Prazo: 365 dias
– Valor: R$ 1.203.280,00
– Data de Assinatura: 18/05/2010

28/maio/2010
Contrato: 15/00545/10/04
– Empresa: S/A. O ESTADO DE SÃO PAULO
– Objeto: Aquisição de 5.200 assinaturas do Jornal “o Estado de São Paulo” destinada as escolas da Rede Estadual de Ensino do Estado São Paulo – Projeto Sala de Leitura
– Prazo: 365 dias
– Valor: R$ 2.568.800,00
– Data de Assinatura: 18/05/2010.

29/maio/2010
Contrato: 15/00547/10/04
– Empresa: Editora Abril S/A
– Objeto: Aquisição de 5.200 assinaturas da Revista “VEJA” destinada as escolas da Rede Estadual de Ensino do Estado São de Paulo – CEI e COGSP – Projeto Sala de Leitura
– Prazo: 365 dias
– Valor: R$ 1.202.968,00
– Data de Assinatura: 20/05/2010.

8/junho/2010
Contrato: 15/00550/10/04
– Empresa: Empresa Folha da Manhã S.A.
– Objeto: Aquisição pela FDE de 5.200 assinaturas anuais do jornal “Folha de São Paulo” para as escolas da Rede Estadual de Ensino do Estado de São Paulo – CEI e COGSP – Projeto Sala de Leitura
– Prazo: 365 dias
– Valor: R$ 2.581.280,00
– Data de Assinatura: 18-05-2010.

11/junho/2010
Contrato: 15/00546/10/04
– Empresa: Editora Globo S/A.
– Objeto: Aquisição pela FDE de 5.200 assinaturas da Revista “Época” – 43 Edições, destinados as escolas da Rede Estadual de Ensino do Estado de São Paulo – CEI e COGSP – Projeto Sala de Leitura
– Prazo: 305 dias
– Valor: R$ 1.202.968,00

A maior beneficiada no esquema foi a editora Abril, que é proprietária do maior seminário do país, a Revista Veja. Não por acaso é o órgão de imprensa que mais ataca o governo Lula e mantém permanentemente capas destrutivas contra a candidatura petista.

– DO [Diário Oficial] de 23 de outubro de 2007. Fundação Victor Civita. Assinatura da revista Nova Escola, destinada às escolas da rede estadual. Prazo: 300 dias. Valor: R$ 408.600,00. Data da assinatura: 27/09/2007. No seu despacho, a diretora de projetos especial da secretaria declara ’inexigível licitação, pois se trata de renovação de 18.160 assinaturas da revista Nova Escola’.

– DO de 29 de março de 2008. Editora Abril. Aquisição de 6.000 assinaturas da revista Recreio. Prazo: 365 dias. Valor: R$ 2.142.000,00. Data da assinatura: 14/03/2008.

– DO de 23 de abril de 2008. Editora Abril. Aquisição de 415.000 exemplares do Guia do Estudante. Prazo: 30 dias. Valor: R$ 2.437.918,00. Data da assinatura: 15/04/2008.

– DO de 12 de agosto de 2008. Editora Abril. Aquisição de 5.155 assinaturas da revista Recreio. Prazo: 365 dias. Valor: R$ 1.840.335,00. Data da assinatura: 23/07/2008.

– DO de 22 de outubro de 2008. Editora Abril. Impressão, manuseio e acabamento de 2 edições do Guia do Estudante. Prazo: 45 dias. Valor: R$ 4.363.425,00. Data daassinatura: 08/09/2008.

– DO de 25 de outubro de 2008. Fundação Victor Civita. Aquisição de 220.000 assinaturas da revista Nova Escola. Prazo: 300 dias. Valor: R$ 3.740.000,00. Data da assinatura: 01/10/2008.

– DO de 11 de fevereiro de 2009. Editora Abril. Aquisição de 430.000 exemplares do Guia do Estudante. Prazo: 45 dias. Valor: R$ 2.498.838,00. Data da assinatura: 05/02/2009.

– DO de 17 de abril de 2009. Editora Abril. Aquisição de 25.702 assinaturas da revista Recreio. Prazo: 608 dias. Valor: R$ 12.963.060,72. Data da assinatura: 09/04/2009.

– DO de 20 de maio de 2009. Editora Abril. Aquisição de 5.449 assinaturas da revista Veja. Prazo: 364 dias. Valor: R$ 1.167.175,80. Data da assinatura: 18/05/2009.

– DO de 16 de junho de 2009. Editora Abril. Aquisição de 540.000 exemplares do Guia do Estudante e de 25.000 exemplares da publicação Atualidades – Revista do Professor. Prazo: 45 dias. Valor: R$ 3.143.120,00. Data da assinatura: 10/06/2009.
Negócios de R$ 34,7 milhões.

Somente a revista Veja e mais 4 “pedagógicas” foram responsáveis pelo assalto de mais de 34 milhões dos cofres públicos dos contribuintes paulistas. A revista Nova Escola, que está sob investigação do Ministério Público Estadual, tem 1/4 de suas vendas na conta do governo Serra, são 220 mil assinatural que engordaram em mais de R$ 3,7 milhões os caixas da editora Abril.

O esquema ardioloso não só tem como função aparelhar os meios de comunicação regados com dinheiro público, como ainda através da própria compra distribuir nas escolas essas imprensa aparelhadas. Isto é, não se trata apenas de aparelhar os maiores meios de comunicação do país, mas de usar o sistema escolar para disseminar publicações tendenciosas como propaganda política disfarçada de noticiário, sobretudo, como arma de difamação contra adversários políticos.

Enquanto as mídias atacam hipocritamente o PT e o governo Lula acusando de ameaçar a imprensa e querer controlá-la, distorcendo a proposta de controle social da mídia que é uma cláusula constitucional e estava presente no PNAD do governo FHC – vemos que na verdade estão na verdade fazendo a defesa de seu atual controle, o controle tucano – e o povo paulista está ainda tendo que pagar para sofrer lavagem cerebral. Absurdo?

Quem na grande mídia romperá o silêncio e denunciará esse crime político hediondo?

Fonte: Diário Oficial do governo de São Paulo

Créditos (em resposta a solicitação de Jofre Roldão):
NaMariaNews
Blog do Miro
http://blogdadilma.blog.br/

Written by ocommunard

22 de setembro de 2010 at 18:45

Jabor, j’accuse!

leave a comment »

Bóia nas marés da web um suposto comentário de Arnaldo Jabor que teria sido supostamente “censurado” pelo TSE, e que segundo uma suposta paráfrase de Dora Kramer, afirmaria que ” a decisão do TSE que determinou a retirada do comentário de Arnaldo Jabor do site da CBN, a pedido do presidente ’Lula’ até pode ter amparo na legislação eleitoral, mas fere o preceito constitucional da liberdade de imprensa e de expressão, configurando-se, portanto, um ato de censura”. Isto é, ela afirma que algo ilegal deve ser admitido pelo Tribual Superior Eleitoral em nome da “liberdade de imprensa”, talvez revelando sua forma de fazer jornalismo.

Pelo que lemos acima já nos levaria apressadamente a deduzir de que se trata de um texto injurioso, agressivo, partidário, aonde o Jabor faz descarada proganda tucana. É exatamente isso de que se trata o artigo do bicudo Jabor.

A VERDADE ESTÁ NA CARA, MAS NÃO SE IMPÕE
Por Arnaldo Jabor

O que foi que nos aconteceu? No Brasil, estamos diante de acontecimentos inexplicáveis, ou melhor,’explicáveis’ demais. Toda a verdade já foi descoberta, todos os crimes provados, todas as mentiras percebidas. Tudo já aconteceu e nada acontece. Os culpados estão catalogados, fichados, e nada rola. A verdade está na cara, mas a verdade não se impõe. Isto é uma situação inédita na História brasileira!!!!!!!

Claro que a mentira sempre foi a base do sistema político, infiltrada no labirinto das oligarquias, mas nunca a verdade foi tão límpida à nossa frente e, no entanto, tão inútil, impotente, desfigurada!!!!!!!!

– Que verdade será essa, caro imparcial Jabor? “A de que no Maranhão não há verdades”!?

Os fatos reais: com a eleição de Lula, uma quadrilha se enfiou no governo e desviou bilhões de dinheiro público para tomar o Estado e ficar no poder 20 anos!!!! Os culpados são todos conhecidos, tudo está decifrado, os cheques assinados, as contas no estrangeiro, os tapes, as provas irrefutáveis, mas o governo psicopata de Lula nega e ignora tudo !!!!!

– Onde? Cadê? Que cheques assinados? Que contas no estrangeiros? São os tapes do mensalão do DEM? Cadê as provas irrefutáveis para admirarmos tamanha irrefutabilidade? São conhecidos por todos, ele afirma – pos ambos desconhecemos, pois ele sequer indica a dádiva existêncial do irrefutável.

Questionado ou flagrado, o psicopata não se responsabiliza por suas ações. Sempre se acha inocente ou vítima do mundo, do qual tem de se vingar. O outro não existe para ele e não sente nem remorso nem vergonha do que faz !!!!!

– Realmente! Como pode um governo dilapidar o patrimônio público, triplicar a dívida pública, duplicar a carga tributária, criminalizar os movimentos sociais, jogar a economia em 8 anos de recessão, fazer estelionato cambial… realmente, como pode FHC não ter remorsos? Mesmo sendo rejeitado por todos seus correligionários em todas as campanhas eleitorais depois que saiu do poder? Mas é contra o FHC que ele está acusando? Veremos…

Mente compulsivamente, acreditando na própria mentira, para conseguir poder. Este governo é psicopata!!! Seus membros riem da verdade, viram-lhe as costas, passam-lhe a mão nas nádegas. A verdade se encolhe, humilhada, num canto. E o pior é que o Lula, amparado em sua imagem de ’povo’, consegue transformar a Razão em vilã, as provas contra ele em acusações ’falsas’, sua condição de cúmplice e Comandante em ’vítima’!!!!!

– Jabor, mas o que, ou melhor, quem é “a verdade”?  Esta que “se encolhe, humilhada, num canto”? Onde alguém “transforma a Razão em vilã”!? Quem é a Razão? Não precisamos conhecer as outras descaradas elegias de Jabor para saber que essa é mais uma declaração apaixonada de amor ao FHC.

E a população ignorante engole tudo. Como é possível isso?

– Ora, se a população é ignorante é claro que é possível. Mas se a população não for? E se essa população aumentasse em 150% o índice de leitura, tenha a maior parcela de escolarizados de nível superior de nossa história, tenha aumentado o consumo em filosofia, tenha se destacado nas olimpíadas de ciências? Aí sim, como é possível?

Simples: o Judiciário paralítico entoca todos os crimes na Fortaleza da lentidão e da impunidade. Só daqui a dois anos serão julgados os indiciados – nos comunica o STF.

– Concordo completamente, FHC criou o repugnante “foro privilegiado” para políticos que destrói a justiça na lentidão da impunidade. Porque não o critica? Inclusive, o José Dirceu clama por ser julgado, mas está empedido pois está condenado a longa fila do foro privilegiado, mesmo ele não tendo mais mandato algum! Prossigamos…

Os delitos são esquecidos, empacotados, prescrevem. A Lei protege os crimes e regulamenta a própria desmoralização Jornalistas e formadores de opinião sentem-se inúteis, pois a indignação ficou supérflua. O que dizemos não se escreve, o que escrevemos não se finca, tudo quebra diante do poder da mentira desse governo.

– O certo seria dizer, a indignação do Jabor ficou supérflua. Jabor declarou publicamente aqui que a opinião pública está totalmente emancipada dos formadores de opinião. Uma boa notícia entre tanta lamúrias, enfim!

Sei que este é um artigo óbvio, repetitivo, inútil, mas tem de ser escrito…

– De fato, óbvio no partidarismo, repetitivo no delírio e inútil na intenção eleitoral. Mas por que deve ser escrito? Dever contratual ou fidelidade partidária?

Está havendo uma desmoralização pensamento. Deprimo-me: Denunciar para quê, se indignar com quê? Fazer o quê?’

– Fazer o quê!? Procurar um psicanalista, talvez…

A existência dessa estirpe de mentirosos está dissolvendo a nossa língua. Este neocinismo está a desmoralizar as palavras, os raciocínios. A língua portuguesa, os textos nos jornais, nos blogs, na TV, rádio,tudo fica ridículo diante da ditadura do lulo-petismo.

– Um neocínico vaidoso com certeza não se qualifica melhor do que o seu amado FHC, este sim foi o arqui-cínimo de todas as horas. Jabor diz que há uma neolingua (querendo fazer paralelos ridículos com a obra 1984 de Orwell), ora, se 90% das mídias de massa estão na oposição, logo a essa neolinguística está muito além do controle do governo. Já os blogs, sim, alguns são grandes progressistas, mas não tem a circulação das mídias anti-petistas a ponto de fabricar uma neolingua – apesar de serem mais bem sucedidos por expressarem a opinião de 95% da população

A cada cassado perdoado, a cada negação do óbvio, a cada testemunha, muda, aumenta a sensação de que as idéias não correspondem mais aos fatos!!!!!

– As idéias (rei-filósofo, príncipe dos sociólogos, império da razão, um ‘intelectual’* no poder) não correspondem aos fatos (governo fracassado, alta rejeição popular, etc). Um ‘intelectual’ que quando assumiu o poder pediu o esquecimento de toda sua produção intelectual!? Essa sãos as idéias que não correspondem aos fatos? Ou é a idéia de que o governo Lula é um total fracasso não corresponder aos fatos de suas grandes conquistas, popularidade nacional e prestígio internacional?

Pior: que os fatos não são nada – só valem as versões, as manipulações.

– Concordo plenamente, é exatamente essa a linha editorial oposicionista de 90% da grandes mídias de massa, entre elas a Globo, Estadão, Folhe de S. Paulo, Veja, etc. Essa inclusive é a linha editorial de Jabor. Mas as mídias sociais já venceram as mídias de massa, agora é só uma questão de expansão da banda larga.

No último ano, tivemos um único momento de verdade, louca, operística, grotesca, mas maravilhosa, quando o Roberto Jefferson abriu a cortina do país e deixou-nos ver os intestinos de nossa política.

– Pasmem! O “único momento de verdade”, segundo Arnaldo Jabor, foi quando Roberto Jefferson – um político acabado de ter sido flagrado em ato de corrupção – acusara o governo Lula de praticar o mensalão, e em razão de não ter apresentado provas dessa acusação teve o mandato cassado! Uma acusação sem provas! É a isso que o sr Arnaldo Jabor chama de “único momento de verdade”. Ou é coincidência que esse “único momento” tenha sido o de maior crise do governo Lula?

Depois surgiram dois grandes documentos históricos: o relatório da CPI dos Correios e o parecer do procurador-geral da república. São verdades cristalinas, com sol a pino. E, no entanto, chegam a ter um sabor quase de ’gafe’.

– São cristalinas realmente, e como são! Mas o sr Jabor não consegue enxergar por mais cristalino que seja.

Lulo-Petistas clamam: ’Como é que a Procuradoria Geral, nomeada pelo Lula, tem o desplante de ser tão clara! Como que o Osmar Serraglio pode ser tão explícito, e como o Delcídio Amaral não mentiu em nome do PT ? Como ousaram ser honestos?’ Sempre que a verdade eclode, reagem.

– Reagem, de fato. Por isso atacam todas as conquistas do governo petista. Por isso fazem descarado partidarismo para tentar desgastar a imagem do presidente mais popular da história. Inclusive, reproduzindo insistentemente uma acusação sem provas.

Quando um juiz condena rápido, é chamado de exibicionista’. Quando apareceu aquela grana toda no Maranhão (lembram, filhinhos?), a família Sarney reagiu ofendida com a falta de ’finesse’ do governo de FH, que não teve a delicadeza de avisar que a polícia estava chegando…

– Lembras do motivo, oh bicudo? Foi um ato político para retirar Roseane Sarney das eleições de 2002 onde que até aquele momento era ela a mais anti-petista do quadro eleitoral.

Mas agora é diferente.

As palavras estão sendo esvaziadas de sentido. Assim como o stalinismo apagava fotos, reescrevia textos para contestar seus crimes, o governo do Lula está criando uma língua nova, uma neo-língua empobrecedora da ciência política, uma língua esquemática, dualista, maniqueísta, nos preparando para o futuro político simplista que está se consolidando no horizonte.

– Nas próprias palavas do “El Cardoso”(no Canal Livre da Band), o governo Lula não faz luta de classes, mas conciliação de classes, e a despeito das desvantagens, permitiu a ele um arco de alianças que vai da esquerda a centro-direita, reservando aos opositores o discurso mais troglodita, direitista, reacionário e fanático. O Serra que o diga!

Toda a complexidade rica do país será transformada em uma massa de palavras de ordem , de preconceitos ideológicos movidos a dualismos e oposições, como tendem a fazer o Populismo e o simplismo.

– O suposto dualismo do populismo em sua sociologia de classes é arrebatadoramente mais complexo que o monismo da “teologia de mercado” em sua antropologia do consumidor. Bem mais complexo do que reduzir toda cultura, ciência, filosofia, arte, razão, psiquê, felicidade, sociedade, produção, política em uma mercadoria.

Lula será eleito por uma oposição mecânica entre ricos e pobres, dividindo o país em ’a favor’ do povo e ’contra’, recauchutando significados que não dão mais conta da circularidade do mundo atual. Teremos o ’sim’ e o ’não’, teremos a depressão da razão de um lado e a psicopatia política de outro, teremos a volta da oposição Mundo x Brasil, nacional x internacional e um voluntarismo que legitima o governo de um Lula 2 e um Garotinho depois.

– Lula!? Não seria Dilma? Discordo, teremos isso sim um país mais desenvolvido, mais soberano, mais justo, mais respeitado, mais influente, mais democrático – pois foi exatamente isso que o Brasil comprovadamente conquistou nos dois mandatos de Lula, e com certerza continuará conquistado nos dois mandatos de Dilma.

Alguns otimistas dizem: ’Não… este maremoto de mentiras nos dará uma fome de Verdades’! A solução é não votar no PT, nem na Dilma, nem em qualquer político que já esteja no cargo, renovação já!!

– Pronto, material de campanha. Pode embalar e mandar para os comitês do Serra em todo o país. É por esse tipo de barbárie pseudo-jornalística e por outras demonstrações de arrogância que nos faz ter a certeza quase absoluta de que a Dilma ganhará de modo acachapante já no primeiro turno na mais retumbante derrota da direita e a neodireita tucana desse país.

P.s.: a renovação política que ele defende vale para os estados de São Paulo, Santa Catarina, Minas Gerais e Rio Grande do Sul aonde o PSDB governa?

Written by ocommunard

18 de agosto de 2010 at 15:13

Publicado em Cultura

Uma ode ao jornalismo, ou talvez uma elegia…

leave a comment »

Eu me pergunto se um dia, quem sabe ainda nessas eleições, ou nessa geração, surgirá um destemido jornalista de joelhos inflexívels, dorso indomável, cabeça em pé, e firmemente e bravamente enfrente enfim o Serra, e o pergunte.

Depois da truculência do sr Serra em acusar de partidária uma jornalista gaúcha por questionar sobre o mensalão do DEM; ou de quando a Miriam Leitão, logo ela, mais tucana do que o próprio Serra, ser interrompida diversas vezes e tendo que ouvir que sua pergunta era uma “grande bobagem” por questionar sobre a independência do BC; depois de ridicularizar a pergunta do experiente Heródoto Barbeiro como sendo “trololó” ao questionar sobre os preços abusivos dos pedágios(e ainda ser afastado do Roda Viva). E mais recentemente quando um jornalista que perguntou ao sr Serra sobre o que ele pensava de sua alta rejeição no nordeste identificada pela pesquisa do Data Folha, ele acusara o reporter em estar a serviço do PT.

É assombroso a que ponto chegou a classe jornalística no Brasil, ao nível de submissão patronal e falta de solidariedade profissional. Nunca um candidato foi mais sórdido, truculento e injurioso com os jornalistas do que Serra, é algo que salta aos olhos. Serra não só não admite nenhuma crítica, como quando acusou de “pelegos” as centrais que desmascaram a farsa de sua suposta autoria do FAT e Seguro-Desemprego, ele atacou mais não provou a autoria. Agora, ele ataca até mesmo os jornalistas que apenas fazem perguntas que ele não quer responder ou que de alguma forma lhe seja embaraçosa. Isso não seria possível se dentro do neoliberalismo das mídias privadas, aonde os donos de jornais podem livremente contratar e demitir seus funcionários conforme seu próprio gosto, não se impusesse aos mesmos o partidarismo demotucano.

Aos jornalistas foi menos traumáticos se transformarem em “critãos novos” do conservadorismo neoliberal, internalizando a ideologia de seus patrões, do que admitir sua condição ideologicamente servil de se cooptar ou perder o emprego. Quantas cabeças rolarão, quantos jornalistas perderão seus microfones, quanta humilhação, quanta truculência, quantas degolas públicas assistirão esses jornalistas até que um dia se levantem contra esse cabresto ideológico? Quanto de salário e humilhação valerá “o lábaro que ostentas estrelado”?

Quem, intrepidamente erguerá transgressoramente seus microfones contra seus salários e patrões e bradará: Serra, eu lhe pergunto! Quem “impávido colosso”, “filho deste solo” de um mãe tão gentil, mesmo se frustrado suas perguntas com aquelas perguntas intimidadoras deste Serra, mesmo assim “ergues da justiça a clava forte” e bradará: Serra, eu lhe pergunto! Quem, de consciência não venal, quem mesmo que retrucado, ridicularizado, esnobado, intimidado por este Senhor de seu Senhor, ainda assim, resistir firmemente e bradar: Serra, eu lhe pergunto! E assim, resistirá bravamente até que enfim, a informação, a nobre e pura informação, possa ser socializada. Aonde estará aquele jornalismo idealista que proclama a liberdade de expressão? Estará escondido entre o bolso e o medo? Será que o jornalismo é então apenas uma prostituição intelectual, aonde a venda do corpo é substituída pela venda da consciência?

Entre essa silenciosa convardia jornalística e essa barulenta farsa midiática, vejo a imprensa brasileira serem tragadas pelo esgoto ideológico de seus patrões, ao mesmo tempo em que são ameaçados com notícias de grandes empresas midiáticas falindo por conta da concorrência com a internet. E nessa mesma internet, se opondo as mídias de massa, surge as mídias sociais criando um novo paradigma de jornalismo, notícias e informação… não há mais uma fonte pelo qual se reuniriam todas as informações, cada tema informativo a internet oferece sites especializados, dedicados, cujas velhas mídias de massa não podem concorrer, nem em conteúdo(pois os sites especializados são mais detalhados), nem em preço(pois a informação na internet é gratuita).

Em tal horizonte, deitado em seus “berços esplêndidos” se desmanchando no ar,  o que nos perguntamos é se, por fim, cairão de pés ou de joelhos? “Verás que um filho teu não foge a luta”? Para aquele jornalista que em um rompante de coragem decidir praticar o jornalismo, deixo abaixo sugestões de perguntas que desafiam o pacto de subserviência ao José Serra, mas que até agora é escamoteado por esse flagrante aparelhamento conservador das mídias de massa.

– Não punir torturadores não daria uma mensagem perigosa de impunidade, omissão e complacência para o futuro de nossa democracia? O sr é a favor de punir os torturadores como se fez e se faz em toda a América Latina?

– O sr permanecerá desqualificando todas as perguntas que não queira responder as acusando de “trololó”, “pelegagem”, “bobagem” ou respondendo com outras perguntas? O sr aceitas críticas sem que tenha que acusar o interlocutor de estar trabalhando para o PT?

– O sr faz parte de um partido que se denomina Social Democrata, o que há de socialista no programa de seu partido que o sr aplicará em seu governo, ou o nome de seu partido não condiz mais com o programa ou ideologia que defende? Seria um partido neoliberal, como afirmam?

– É a favor do golpe que retirou Zelaya do poder, defendido pelos EUA e criticado pela quase totalidade dos países latino americanos, exceto os governados pela direita? Aliás, o sr defenderá ou não a integração latino americana que é, inclusive, um objetivo constituicional da República brasileira.

– Considerando que muitos países europeus tem jornada semanal de 40h ou menos, como Portugal, Suécia, Alemanha, França, etc; o sr apoiaria a jornada semanal de 40h, jornada essa que os trabalhadores do setor público já tem acesso, e considerando ainda que as condições de produtividades avançaram desde então. Se sim, o seu partido, PSDB, votará a favor do projeto que tramita no Congresso?

– O sr acha democrático os meios de comunicação estarem concentrados nas mãos de poucas famílias quando a prática no mundo civilizado, tanto na UE como nos EUA, é proibir a propriedade cruzada e todas as formas de monopólio ou oligopólio midiático? O que o sr fará para desconcentrar os meios de comunicação no Brasil?

– Considerando que a ONU já condenou o bloqueio a Cuba por 17 vezes e que na última condenação somente os próprios EUA, Israel e Ilhas Marhall votaram contra a condenação, o sr lutará para por fim a esse bloqueio?

– Considerando que o sr é um progressista. No Brasil, a criminalização do aborto na prática apenas leva as famílias mais humildes a métodos abortivos medievais com risco de vida, enquanto os mais ricos podem a qualquer momento viajar para países com aborto legalizado e ter todas as condições sanitárias para realizar o seu aborto. O sr acabará com essa injustiça social ou seguirá o receituário da ala reacionária da igreja católica que inclusive é contra a camisinha, mesmo na África aonde a AIDS é um tragédia social?

– Como o sr se sente se aliando com maior partido de direita do país, o DEM? O sr poderá responder essa pergunta sem usar as alianças do PT como pretexto?

– na internet circula um questionamento sobre seu diploma de economista. O sr reafirma que tem diploma de economista? Irá mostrá-lo para provar que é boato? Esse diploma é reconhecido nacionalmente? Seria falsidade ideológica se apresentar como economista quando este título não é válido no país?

– O sr foi acusado de propaganda enganosa pelas centrais sindicais por atribuir a si mesmo a autoria do seguro-desemprego e FAT, sua resposta foi chamar as centrais de pelegas. Mas como explica a autoria de um projeto que aprovado um anos antes com a autoria do deputado Jorge Uequed do PMDB-RS?

– O sr se declarou de esquerda mas é acusado de criminalizar os movimentos sociais, reprimir manifestações, desqualificar o sindicalismo e reproduzir um discurso udenista com a acusação de “república sindicalista”, o mesmo discurso que embalou o golpe militar de 64 – cujo o sr na época era adversário.

– Por que seria aparelhamento do Estado, sindicalistas participarem do poder quando o partido no poder é formado por sindicalistas, e não é aparelhamento quando latinfundiários, médicos, advogados, padres, etc participam do poder? Os sindicalistas não tem os mesmos direitos políticos que todo cidadão?

– Você acha politicamente honesto defender o Bolsa Família quando o seu partido passou os dois mandatos do Lula o atacando como: “bolsa esmola”, “maior programa oficial de compra de voto”, “estímulo a vagabundagem”? Seu partido errou ao criticar o bolsa família ou o sr apenas está fazendo demagogia eleitoral?

– o sr prometeu cumprir todo o seu mandato como prefeito de São Paulo e ainda indicou, provocado pelo Boris Casoy, que ninguém mais votasse no sr caso não cumprisse todo o mandato. O sr não cumpriu. Você acha que os eleitores deveriam levar a sério o que o sr fala não votando no sr, ou os eleitores devem levar a sério apenas o que lhe interessa eleitoralmente?

– O sr. achou razoável dois hábeas corpus em menos de 24h para o banqueiro acusado Daniel Dantas dado pelo Gilmar Mendes, justificando que não havia novas provas que fundamentassem a nova ordem de prisão, sendo que essa nova prova foi uma gravação de suborno transmitida em rede nacional por todos os meios de comunicação? Considerando isso, o sr assinaria, apoiaria ou seria simpatizante de um abaixo-assinado pelo impeachment de Gilmar Mendes?

– Seria difícil se comprometer ou como o sr faria para realizar imediatamete a queda dos juros, a reforma agrária e eliminação da miséria?

– Como presidente, como faria para diminuir imediatamente a taxa básica de juros, considerando que já é consenso que temos taxas abusivas e totalmente inadequadas frente aos nossos indicadores (muito melhor do que muito país com taxa básica de juros bem menor), mesmo sabendo que os 8 anos de PSDB federal praticou juros ainda maiores.

– O sr acha que os EUA devem um pedido formal de desculpa por terem oficialmente apoiado, financiado e dado suporte as ditaduras militares latino-americanas?

Written by ocommunard

17 de julho de 2010 at 21:35

Publicado em Cultura

Tagged with

A mídia no divã – um caso de estudo psicanalítico

leave a comment »

A mídia é um paciente com traços psicóticos preocupantes. A compulsão mitomaníaca pode se agravar como o recente trauma sofrida por ela (Dilma ultrapassa Serra no Ibope) de modo autodestrutivo, ou muito provavelmente terá como válvula de escape uma esquizofrenia com traços recorrentes de mensalomania. A mensalomania é uma psicose com traços de delírio, histeria e megalomania; provocado por um profundo complexo de inferioridade da identidade nacional e por uma obsessiva atração anglófila – nesse caso foi motivado por uma obsessão amorosa a um certo FHC. Há ainda alguns traços de cleptomania, mas a compulsão mitomaníaca é dominante. O identificarei como PIG, sigla para “Partido da Imprensa Golpista”, como é melhor conhecido.

Primeiro Trauma: o reprimido Mensalão Tucano

O primeiro trauma ocorreu ao passar por traumática relação amorosa com alguém intitulado pelo paciente por “príncipe dos sociólogos” ou FHC. A atração entre os dois muito provavelmente ocorrera em base da mútua identificação de seus sintomas psicóticos. Seu objeto de obsessão, segundo declaração do mesmo PIG em sessões de análise (Folha de 14 de maio de 1997):

“Na terça, a Folha havia revelado um esquema de compra de votos de deputados na época da votação da emenda constitucional da reeleição, em janeiro passado. Participaram do negócio, pelo menos, cinco deputados federais do Acre e dois governadores – tudo isso segundo os deputados João Maia e Ronivon Santiago (PFL), este último o que protagonizou as revelações de terça”.

“Os diálogos foram gravados sem que os deputados soubessem. Algumas das conversas gravadas com João Maia são posteriores às de Ronivon Santiago”.

O paciente informara que a existência dos áudios gravados lhe provocara um bloqueio a tal ponto de não se lembrar de nada e aparentemente tais áudios jamais foram mais uma vez encontrados ou manifestados pelo paciente. Em um acesso de pânico, aparentemente, destruíra ou bloquearia. Eu conceituei essa síndrome de “silêncio fisiológico por afinidades ideológicas”. Segundo o estágio da libido, o paciente se encontrara no que Freud identificava como Fase Oral:

“Na fase oral, ou fase da libido oral, ou hedonismo bucal, o desejo e o prazer localizam-se primordialmente na boca e na ingestão de alimentos e o seio materno, a mamadeira, a chupeta, os dedos são objetos do prazer”.

Para explicar melhor essa tese no caso atual, a ingestão de alimento seria a publicidade milionária do governo; os seio maternos se identificariam com a imagem edipiana das “tetas do Estado”. O resto a compreensão é intuitiva. A mensalomania já identificada nessa compra de votos, foi reprimida no mais profundo inconsciente do paciente PIG, terá efeitos graves ao passar por traumas posteriores.

Segundo Trauma: o delirante Mensalão do PT

No ano de 2002 houve um segundo grande trauma que expôs o paciente a uma carga psíquica que quase o levara ao suicídio. O seu objeto amoroso fora preterido em favor de um outro conhecido como PT ou mais especificamente, Lula. Este representava para o paciente uma fonte de agressividade e repulsão, era a antítese de seu objeto amoroso. O paciente esteve em luto durante anos chegando a uma letárgica depressão.

Sua súbita agitação foi provocada quando um outro paciente psicótico, Roberto Jefferson, submetido a uma estressante reprovação pública ao ser pegue revelando seus impulsos à perversão (escândalo dos correios) – descarrilara em delírios contra o PT, o desafeto do PIG. Esse delírio foi clinicamente comprovado após ter perdido o mandato por não ter provas das denúncias. No entanto, para o paciente PIG, o delírio se transforma ema uma válvula de escape para sua “pulsão de morte”. Nesse momento entrara no que Freud define como fase anal.

“Na fase anal, ou fase da libido ou hedonismo anal, o desejo e o prazer localizam-se primordialmente nas excreções e fezes. Brincar com massas e com tintas, amassar barro ou argila, comer coisas cremosas, sujar-se são os objetos do prazer”.

O paciente teve traços de “bipolaridade” quando associava “valerioduto” ao Lula, denomiva “mensalão” (expressão megalomaníaca para “compra de votos”), mas ao relacionar o fato com um “PSDB mineiro”, associado de seu objeto amoroso, resistia freneticamente a admitir o termo. Seu mecanismo psíquico de autodefesa se limitou a omitir um caso e ressaltar o outro. Sua psicose entraram em um ciclo vicioso em que quanto mais manifestva agressividade delirante, mais popularidade o objeto anti-amoroso recebia, realimentando sua esquizofrenia.

Algumas pesquisas revelavam a mensalomania como uma obsessiva compulsão destrutiva contra seu desafeto, Lula; já que um mero “caixa-2”, como foi identificado, não possibilitaria um processo político de impeachment. Porém, foi vítimado por sua própria mitomania, se convencendo de que, com relação ao PT : “vamos sangrá-lo até as eleições e abatê-los nas urnas!”.

A frustração desse imperioso desejo mais uma vez agravou sua enfermidade mental e aplacou seus nervos provocando uma “histeria crônica” e o jogando em recorrentes delírios identificados como encandalomania (é uma categoria mais abrangente em que se inclui a mensalomania). No entanto, nenhum desses sintomas se firmavam, cabendo sempre um recuo permanente ao seu delírio original: o mensalão do PT. Frente as novas frustrações mediante sua impotência verbal, desenvolvera como autodefesa psíquica se um certo autismo fixado em uma auto-imagem megalomaníaca em contraposição a que denomina “populacho ignorante”. A mensalomania reprimida no trauma da “emenda da reeleição” tomou uma forma delirante e foi canalizada contra seu desafeto, a mensalomania real de seu objeto amoroso se metamorfoseara em seu inconsciente em uma mensalomania delirantecomo forma de alivío emocional a sua insuportável repulsão ao “Sapo Barbudo”.

Terceiro Trauma: o masoquista Mensalão do DEM

O paciente já parecia mais calmo dentro do seu autismo crescente, sempre se retroalimentando de uma delirante “verdade”. Frequentemente ocilava opiniões divergentes como: “o bolsa família é compra de voto”, e depois “foi FHC que inventou o bolsa família”(em minhas pesquisas descobri que fora Cristovam Buarque). Repetia histericamente sobre um suposto mensalão, apesar do denunciante ter sido caçado por não ter provas. Praguejara também fortemente contra um “Sarney” que enquanto era amistoso a seu objeto amoroso, não havia sido criticado por ele.

No entanto, o meu paciente foi submetido a um trauma ainda maior por causa de um dos associados a seu objeto amoroso, o DEM. O DEM é um paciente com graves traços de incontrolável perversão e uma compulsão obsessiva a cleptomania, além de uma infância se filiação autoritária. O PIG reservava também a este uma série de bloqueios de memória sobre sua amoralidade. No entanto, DEM foi acometido de uma de suas crises cleptomaníacas (Mensalão do DEM). O paciente(PIG) entrou em uma crise paradoxal, precisava alimentar-se do próprio delírio em que realizava seu prazer sádico contra o PT, porém tal delírio ameçava seu próprio prazer ao indiretamente atinger seu objeto amoroso – pois se enquadrava totalmente na conduta em que o paciente recriminava agressivamente em seu delírio. Sua primeira reação foi conter-se, depois negar a conceituação de mensalão e por fim, tentar isolar o objeto amoroso (FHC) de seu amigo destrutivo (DEM).

A partir de então o paciente foi acometido de uma série de eventos traumáticos sucessivos. Abaixo faço uma lista para melhor visualizar:
– O sucessor do Príncipe o escondia da campanha por causa de sua impopularidade; o
– Delírio do dossiê não emplacara;
– A sucessora do PT ultrapassou o sucessor de seu objeto amoroso;
– O sucessor do FHC tem vergonha dele e o esconde;
– O DEM é flagrado no mensalão real, retirado o álibe moral do PIG
– O sucessor do FHC e rejeitado por vários vices e escolhe um vice inexpressivo
– O DEM é humilhado e ameaça romper a amizade

O PIG desenvolvera, como mecanismo de autodefesa defendido pelo sucessor do FHC, uma espécie de “pós-lulismo”, que foi enfraquecida pelos atuais traumas. Mas ainda busca meios de conter as próprias tensões suicidas de seu impulso “anti-lulista” que o levara até a sua atual situação crônica.

Aqui se encontra o paciente na chamada fase genital, entendendo aqui que o conceito abaixo se aplica a este caso com as seguintes representações: A mãe é representada inconscientemente pelo FHC e o objeto fálico é o próprio delírio; e o menino representaria aqui o papel do paciente (o PIG):

“Na fase genital ou fase fálica, ou fase da libido ou hedonismo genital, o desejo e o prazer localizam-se primordialmente nos órgãos genitais e nas partes do corpo que excitam tais órgãos. Nessa fase, para os meninos, a mãe é o objeto do desejo e do prazer; para as meninas, o pai”.

Observações relevantes para o caso:

Na psicanálise do paciente FHC(o objeto amoroso do paciente PIG), foi identificado traços de inveja que Segundo Melanie Klein, “É a expressão sádico oral e sádico-anal de impulsos destrutivos, em atividade desde o começo da vida”, e afirma ainda que “Se a inveja é excessiva, indica, em minha concepção, que traços paranóides e esquizóides são anormalmente intensos e que tal bebê pode ser considerado doente”. A conclusão da autora é realmente brilhante: “Minha hipótese é que uma das mais profundas fontes de culpa está sempre relacionada à inveja do seio nutridor(o Estado) e ao sentimento de haver estragado sua ‘bondade’ por meio de ataques invejosos”.

Written by ocommunard

27 de junho de 2010 at 14:39

Publicado em Cultura, Humor

Em defesa da tributação

leave a comment »

Quantas bobagens somos submetidos cotidianamente para sermos convencidos de que somos assaltados por impostos. Quantas vezes você já não ouviu que se paga imposto demais? Que o Brasil tem tal carga tributária. E se apressam em afirmar que o Brasil tem uma carga tributária alta frente ao baixo nível de retorno nos serviços públicos, porque sabem que com a Internet fica fácil para qualquer constatar que nossa carga tributária é bem inferior do que a européia.

Mas os EUA tem sim uma carga tributária bem menor, mas não é difícil de entender. Se você considerar que ela tem o maior pib do mundo, uns US$ 14 trilhões, enquanto o Japão, a segunta economia do mundo, tem 4 trilhões. Aí é fácil entender que se a carga tributária estadunidense for de 5%, representaria mais recursos do que uma carga tributária brasileira de 50%, pois o pib brasileiro é de 1,6 trilhões. Mesmo sendo o Brasil uma das 10 maiores economias do mundo.

É curiosa também a lógica aplicada: quando usamos um serviço privado, geralmente pagamos mais para termos melhores serviços, mas segundo os ideólogos neoliberais, os serviços públicos insuficientes devem ser resolvidos com diminuição de impostos? Defendem a privatização como forma de combater o mal serviço público, para em seguida possam cobrar mais o quanto quiser para oferecer serviços melhores ou mesmo piores pela iniciativa privada.

Quando uma mercadoria ou serviço privado é ruim, simplesmente nos contentamos em nos lamentar em não ter dinheiro suficiente para pagar por algo de melhor qualidade, mas se for público, é sempre uma comprovação absoluta da ineficiência do Estado na economia. Mesmo sendo a BBC a maior tv do mundo, e a NASA o maior centro de pesquisa do mundo, o ITA brasileiro e as faculdades federais estão no topo da excelência na educação, a Petrobrás ser a maior empresa brasileira. Sem falar do fracasso neoliberal que está ainda agora arrastando as economias centrais dos EUA e UE.

E ainda quando afirmam que nossa carga tributária é tal, como 30%, é falso… porque sendo o imposto progressivo, a parcela maior desse imposto é pago pelos mais ricos. Se somos defensores da distribuição da renda, de uma sociedade mais igual, e no caso do Brasil é algo crônico porque estamos entre os países mais desiguais do mundo, somente através do imposto progressivo podemos garantir isso. Dessa forma, precisamos de muito imposto para realizar a distribuição da renda, arrancando de quem tem mais e redistribuindo para o resto da sociedade através de serviços públicos e assistência social.

Se alguém ainda assim se sente seduzido pela infabilidade da iniciativa privada, apesar dos recorrentes casos de recall, desastres ambientais, processos jurídicos, e etc. Pense seriamente em comparar o quanto você paga em uma faculdade privada e uma faculdade pública, a única razão de não termos hoje escolas públicas superiores as privadas, se deve a um longo descaso político, pois já tivemos uma escola pública muito superior a privada. Considere ainda pagar uma segurança privada ao invés do que você efetivamente paga pela pública. O estado, ao distribuir(progressivamente) o preço desses serviços por toda a sociedade, ele torna mais barato para cada um, e tanto mais barato quanto menos você ganha. Já o serviço privado ele cobra o mesmo para todos, milionários e miseráveis, é socialmente absurdo.

Nós não percebemos que cada fração de imposto sustenta toda a república, que vai do asfalto ao tribunal, do semáforo ao exército, do policial a todo aparato democrático(parlamento, eleições, direitos, etc). Se é verdade que a tributação é uma carga pesada, com certeza ela é ou devia ser para os mais ricos, a sobretaxação das maiores riquezas é a condição e o modo pelo qual a justiça social se aplica até na carga tributária.

Enquanto tudo ainda não estiver nas mãos dos próprios trabalhadores associados, o Estado é o melhor guardião do interesse comum dos trabalhadores, desde que esteja representando o trabalho, e não o capital.

Written by ocommunard

27 de maio de 2010 at 3:08

Publicado em Cultura

Neoliberalismo ou seria arqui-mercantilismo?

leave a comment »

O capitalismo não nasceu da “natureza humana”, como propaga o clero neoliberal, que se baseiam na sacro-santa ignorância histórica. O capitalismo surgira no renascimento comercial no fim do feudalismo que gerou um crescimento urbano(burgos). As cidades estados italianas inauguraram esse poder burguês emergente com a associação entre os burgos e o rei, isto é, o nascimento do Estado moderno. Essa associação desencadearia no absolutismo.

Todo o capitalismo nascente exigiu um Estado forte, grande e intervencionista. Esse fato deveria ser suficiente para demonstrar que o liberalismo em um país subdesenvolvido é um ato de colonização pura e simples, porque as potências que exigem o Estado mínimo dos subdesenvolvidos alcançaram o próprio desenvolvimento com o estado máximo.

Pois bem, daí temos duas contradições originais do discurso pró-capitalista neoliberal. O capitalismo nascera do Estado máximo e radicalmente anti-democrático(monarquia absoluta) e alcançara seu desenvolvimento através dele, e não apesar dele, ou muito menos contra ele. O paradoxo é que em países atrasados, a burguesia nativa é aliada da burguesia estrangeira, devendo os trabalhadores e classes médias se aliarem para realizar a “acumulação primitiva”(Marx) que a burguesia nativa, atrelada a burguesia internacional, é contra. Isso explica todo o desencadeamento do chamado socialismo real e a situação da China atual em seu capitalismo de Estado ou socialismo de mercado.

O problema é que o neoliberalismo é uma regressão. O liberalismo clássico surgira do conceito de “valor trabalho” e “mercado auto-regulante”. O socialismo, que é sua antítese herdeira, absorveu o conceito de “valor trabalho” como base da teoria da exploração, e refutou o “mercado auto-regulante” denunciando que o mercado é o contrário, autocontraditório, e sua prova são as crises. O chamado liberalismo neoclássico(economia marginalista ou economia vulgar), por um movimento puramente apologético, inverteram a herança, refutaram o “valor trabalho” e resgataram o “auto-equilíbrio capitalista”. O problema é que essas idéias jamais encontraram eco na realidade, e quando veio a Grande Depressão de 29 que varreu o mundo o político, ela caiu como um castelo de cartas.

Após a grande depressão veio toda forma de intervencionismo, o de direita(fascista), centro(keynesiano) e esquerda(socialista). Lenin chegou afirmar que na fase do “capitalismo monopolista de Estado” toda tarefa se concentrava na tomada do poder, já que a forma econômica do socialismo, segundo ele (o Estado na economia), estaria já realizada. Com a crise do petróleo, a hiperinflação, as crises fiscais, a seita neoliberal tomou espaço e dominou intocável até a crise de 2008.

O neoliberalismo é uma regressão vulgar, porque resgata o fetiche mercantilista do monetarismo, que a riqueza é uma expressão monetária, caindo na circularidade de ser a moeda a expressão da riqueza. O liberalismo clássico tem sua fundação no conceito de valor como advindo do trabalho, conceito esse que já na escola neoclássica, pai da escola neoliberal, já refutava (e falhara na crise de 1929). Toda ela é mercantilismo, com seu foco na balança comercial, no capital improdutivo/financeiro(mais uma vez o inverso do liberalismo clássico). Mesmo naquilo que defende ela é falha, ela defende o Estado mínimo, mas defente que a regulação da moeda permaneça com o Estado. Foi apenas nesse papel que a experiencia neoliberal teve êxito, isto é, no controle inflacionário. A única concessão a política econômica feita pelo neoliberalismo, todo o resto era mercado, e todo resta desencadeou a crise de 2008.

O grande trunfo do neoliberalismo é permitir que com seus equívocos as grandes potências tenham suas economias drenadas para o terceiro mundo. O país que mais recebe capitais no mundo hoje é um dos países menos neoliberais do mundo, a China. Os governos de esquerda na América Latina, que se afastaram o quanto puderam do neoliberalismo, suportaram melhor a crise que a UE e o EUA. O capitalismo americano vende marcas e especulações, uma economia com um dos piores indicadores do mundo, o que provavelmente provocará também migração das matrizes para os países produtores. Nossa chance é continuar refutando esse neomercantilismo e deixar que as potências sangrem no altar do mercado, até um outro cenário emergente se firmar no hemisfério sul do planeta.

Written by ocommunard

21 de maio de 2010 at 13:38

Publicado em Cultura