Communard

Políticas, economias e ideologias

PIG, do arquiudenismo ao neonazismo

leave a comment »

O PIG já ultrapassou a fase arquiudenista pelo qual se identificavam com a massiva campanha midiática de denúncias de corrupção sem provas e por uma inclinação golpista declarada com visitas a céu aberto a instituição pró-golpista do Clube Militar.

E José Serra é o Lacerda redivivo, de corpo e alma, com todos os trejeitos minimalisticamente reproduzidos. Serra é a história que se repete como farsa, a farsa que foi desmascarada pelo já Best-Seller A Privataria Tucana.

Antes eu denominava a ideologia de Serra-PIG de neoudenismo. Esse termo é equivocado porque o traço mais marcante do udenismo de então é o de reproduzir obsessivamente a aura do velho udenismo, tratando com todo o léxico e ambientação do clima de Guerra Fria e do Brasil pré-golpe. Deve ser difícil para o arquiudenismo reviver a Guerra Fria em um mundo aonde os EUA são os maiores parceiros comerciais da China comunista.

O PIG, no entanto, já está indo além, estão claramente lançando campanhas de ódio explícito a esquerda. O goebbelianismo (isto é, a propaganda política em massa das grandes mídias) não consegue alcançar a hegemonia graças a uma invenção bem comunista chamada Internet, e a expansão permanente da internet cada vez mais mina a capacidade de lavagem cerebral em massa dessa maciça propaganda política pró-serrista.

Só restou ao PIG partir para massificar o ódio e estimular a violência como um ato desesperado para tentar deter o movimento histórico de emancipação dos trabalhadores no Brasil.

Quanto mais os fatos se voltam contra eles, mas eles se voltam contra os fatos. Quanto mais se voltam contra os fatos, mais perdem credibilidade em sua minguada patuleia: uns 8% do país (deduzindo aqui das pesquisas que indicaram o Lula com 92% de aprovação, obviamente, um crédulo PIGísta não pode admitir outra avaliação de Lula que não seja o ‘péssimo’, isso ninguém pode negar).

Com a decadência eleitoral de seu braço partidário (o udenismo nunca elegeu um presidente) e a inviabilidade conjuntural de seu braço militar, ao PIG só lhe resta formentar e apoiar esse tipo de miliciamento neonazista que carregam o ódio e a violência contra a esquerda. Não por acaso que os grupos neonazistas estão em franca expansão, não por acaso o Serra se deixou associar sem nenhum protesto a esse neonazismo anti-gay, anti-nordestino e anti-negro que Bolsonaro representa. Serra o faz sem escrúpulos, querendo absorver qualquer coisa que lhe renda poder, apoio ou votos. E, sobretudo, que ataque seus adversários internos e externos.

Serra, Reinaldo Azevedo e Gilmar Mendes são a vanguarda do atraso, irmanados por laços criminosos que sua mídia cúmplice rapidamente silenciam. Serra com a privatria, o Reinaldo Azevedo com o Satyagraha e Gilmar Mendes com o Daniel Dantas. As atividades desses são de tal modo deletérias que não podem deter o caráter cancerígeno de suas ações. A esperança é que antes que a máscara caia, o seu füher Serra detenha o poder máximo e destrua todos os rastros, aparelhando ainda mais a justiça e mídia além do que já realizou (como prova o livro em questão).

Mas o udenismo jamais elegeu um presidente, nem mesmo através de um golpe militar. Lacerda que o diga.

O PIG na América Latina já começou a perder a sua castidade no primeiro mundo, com os casos de corrupção envolvendo a maior máquina de propaganda política direitista que controla a Fox News (NewsCorps).  O europeu e o americano agora desconfiam dessas acusações de “ameaça a imprensa” por mera analogia com sua realidade nacional. Na Argentina, o processo, com a Ley de Medios, está em um nível pre-revolucionário, com grande adesão social. Como sempre, na América Latina, a Argentina está na vanguarda.

Se a nossa presidenta, que quer civilizar os arquiudenistas e agora neonazistas, ao menos assumisse o papel de massificar velozmente a internet, teríamos ao menos um alívio. No terreno da internet o embate é menos desigual. Sem isso, estaremos mais uma vez a deriva. E o que é pior, poderemos está repetindo a mesma displicência desastrosa do Partido Social Democrático Operário Alemão que levou os nazistas ao poder. E a responsabilidade de impedir a repetição da história não é mais apenas uma responsabilidade nacional, mas uma responsabilidade internacional dado o papel que o Brasil vem tomando no mundo e pela sua relevância na integração da América Latina.

O PT tem a obrigação política de enfrentar o PIG, se não o fizer eles não serão as únicas vítimas. A oposição de esquerda que temos, comete o cúmulo muitas vezes de se deter na campanha do PIG para ganhar espaço político. O PIG não elegeu nem a primeira classe, quanto menos os que querem pegar a carona. Nossa oposição de esquerda deveria está fazendo esse tipo de cobrança, exigindo que o PT faça aquilo que em todo o mundo se faz contra seus respectivos PIGs, a nossa oposição de esquerda deveria ser a versão corajosa de nossa esquerda governista, e não se render como fazem. Toda vez que o PT vacilar, eles deveriam entrar em cena e levantar a bandeira. Assim, conseguiriam crescer como alternativa progressista.

Democratizar a mídia é, na conjuntura mundial, a mais urgente, necessária e revolucionária bandeira das esquerdas. A Internet, com suas mídias sociais, fez por si mesma mais da metade desse trabalho, mas é horas das forças políticas de esquerdas fazerem a sua parte. Não se trata de fazer uma guerra de informação, isso é puerilidade, é inútil, se trata de transformar os meios de comunicação. Democratizar é desconcentrar os meios de comunicação, é agir por todos os lados para subsidiar os pequenos e tributar os grandes, tal como se faz com qualquer política social, a política social tem de chegar aos meios de comunicação.

Não adianta lutar contra os efeitos, isso sim é uma luta de Sísifo, mas contra as causas. Essa é a causa urgente. Algumas sugestões:

– orçar mais recursos para prover banda larga wirelless pública e gratúita, primeiramente nas capitais, depois interiorizando. Isso viria como a materialização de um direito público a comunicação. Essa é a mais importante de todas as iniciativas.

– investir pesadamente em fibra ótica para baratear fortemente os custos da Internet.

– criar uma tributação progressiva sobre os meios de comunicação realizando subsídios aos menores, trazer a política social a comunicação para estimular novos meios de comunicação.

– exigir em lei que o capital social das mídias de capital aberto pertença 51% aos seus funcionários (lei contra a censura patronal), esse 51% tem de ser capital votante.

– cumprir a lei que impede que político detenha qualquer mídia

– exigir que todo gasto publicitário do governo passe por licitação calculado por “custo por mil”. Sendo que esse recurso tenha de ser distribuído igualmente em mídia privada, pública e comunitária. E nas mídias privadas devem deter em cada setor ao menos 3 empresas (para não haver nenhum favorecimento).

– criar uma legislação que dinamize os processos de preservação de imagem.

– mídias que tenham jornalistas condenados por calúnia não devem receber recursos públicos (não podem participar da licitação de publicidade pública)

– as mídias que receberem recursos de governo ou estatais devem seguir um rigoroso estatuto que preserve os princípios constitucionais e jornalísticos fundamentais: objetividade, imparcialidade, equidade, pluralidade, etc. Caso não preservem segundo sindicância por iniciativa interna ou provocado, perderão de imediato os recursos. Podem recorrer nos tribunais.

– lei especial que cassa a concessão pública de qualquer meio de comunicação e impõe severas multas os que comprovadamente tenha cooperado com o golpe militar ou ditadura.

– fortalecer em recursos a EBC para que ela se torne a nossa BBC. Direcionar os recursos da tributação das mídias para os caixas da EBC. Fazer uma gestão mais ousada que tente compor competitividade com elevado nível de qualidade. Talvez contratando o Boni, controverso mais competente profissional, para usar seus conhecimentos para elevar o nível técnico da EBC.

Isso é muito mais do que qualquer idílico controle social dos meios de comunicação, nunca é demais lembrar que tais controles existem na Europa e nos EUA e não impediu as ações facistas da NewsCorps (Fox News). Esse controle social é um placebo inútil que só serve ao PIG para falaciar a vontade.

Anúncios

Written by ocommunard

22 de dezembro de 2011 às 15:52

Publicado em Sem categoria

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: