Communard

Políticas, economias e ideologias

A midiocracia tucana: um cântico golpista…

leave a comment »

A política desenvolvimentista dos tucanos não visa o crescimento do PIB, mas o crescimento do PIG (Partido da Imprensa Golpista). Antes de tudo, essa argumentação é baseada nas referências que cito no fim do artigo. Qualquer questionamento sobre os fundamentos e materialidade deste artigo está nos links.

Porque a mídia encobre a promessa do Serra de que se ele não cumprisse o mandato de prefeito (o que não o fez), ninguém nunca mais votasse nele? Porque as declarações de Serra sobre a apologia da “traição, porém com discrição” não levantaram nenhum arroubo moralista nos puritanos “colonistas” da Veja? Porque as mídias não estampam escandalosamente a falsa autoria do FAT e seguro desemprego, sem falar dos genéricos, programa de AIDS e até mesmo de seu diploma de economista que, no mínimo, não tem validade nacional?

O que está havendo? Que tipo de regime é esse de concubinato imoral entre um candidato e as grandes mídias de massa? Que cria a cada dia factóides para atingir o governo petista enquanto esconde os escândalos tucanos?

Quem não se lembra do “mensalão” de que até hoje o PT é acusado como se fosse um fato provado e inquestionável, sendo que o único fato concreto descoberto na CPI foi caixa-2, no chamado esquema valerioduto. Um esquema que se iniciou inclusive no PSDB mineiro! Apesar disso, toda esses crápulas prostituídos repetem cotidianamente a demonização do PT e a canonização do PSDB, apesar de ambos estarem ligados ao mesmo fato que, facciosamente, as mídias de massa justificam a demonização.

Que tipo de regime é esse figurado nessa relação promíscua entre as mídias de massa e Serra? Quando o governo federal que detém 70%* da arrecadação tributária nacional gasta em verba públicitária em 2009 algo em torno de R$ 155 milhões*, enquanto o governo Serra, somente ele, gastou em 2009 R$ 277 milhões*. Um único estado da federação gastou quase o dobro em verba publicitária do que o governo federal, mesmo tendo o governo federal 70% dos recursos de tributação! Isso é um escândalo ou não é? Você acha que a mídia de massa criticará uma corrupção aonde ela é diretamente beneficiária?

Abuso de poder? Suborno? Mensalão? Bolsa mídia? Corrupção? Cooptação? Não se trata apenas disso, é mais de que um golpe de Estado, mas uma destruição das instituições democráticas – quando o direito a informação é corrompido ou fraudado, a democracia não existe, pois é a informação que forma a opinião do eleitor que se materializará no voto. Mas eles sabem disso, apesar da resistência heróica dos internautas progressistas que estão fazendo a diferença…

Que regime é esse de controle total dos meios de comunicação de massa? Na história ele já se repetiu e foi conhecido como nazifascismo. Atualmente o seu maior representante é nada  menos do que: Berlusconi. Berlusconi é a direita do século XXI. Quando dizemos Berlusconi, midiocracia, corrupção, ainda apenas tateamos. De que estamos falando? Criminalização dos movimentos sociais!? Perseguição raivosa da esquerda!? Controle absoluto das mídias de massa!? Terrorismo psicológico!? Ideologia de direita!? O que escrevi aqui não foi o programa do PSDB, ainda que tenha semelhanças evidentes, mas o programa literal de Hitler.

Mas não é um cântico ideológico, seria ingenuidade apostar nisso – porque todos eles sabem que Serra é de esquerda, que FHC era um marxista, que o PSDB é um partido socialista – ou social democracia quer dizer neoliberalismo? E que quem pratica o radicalismo são eles: a direita histérica, fanática e injuriosa… Eles sabem disso, a questão é tão somente o “vil metal” jorrado dos cofres públicos. Tudo se repete, com uma precisão quase fatídica… O controle midiático, o Hitler (Serra), a histeria reacionária, a inércia do governo de esquerda, acriminalização dos movimentos sociais, a perseguição raivosa dos esquerdistas, etc…

Nessa encruzilhada está solitariamente o trabalhador, armado com suas instituições de classes de um lado(sempre atacadas pela camarilha), e por outro lado por seus blogs na Internet(com uma circulação insignificante comparado ao conglomerado midiático). A Internet é guerrilha: descentralizada, ágil, imprevisível, pequena, localizada… Essa é sua força e sua fraqueza. Porém, uma vez a guerrilha venceu; nós conhecemos bem essa história. E Cuba continua resistindo.

Ainda que Dilma ganhe, e tudo indica que ela vencerá com folga, essa de longe não é a questão, passa ao largo do crucial (ainda que eleitoralmente tudo possa acontecer). A cada dia fica cada vez mais claro que a vitória da Dilma será o estopim de uma ação direta golpista da direita. As ameaças de impugnação da candidatura Dilma é em si a resposta a isso, é a prova e a explicação. Nítido, claro e transparente: esse é o germe do golpe…

Ela não terá sua candidatura impugnada antes de ser eleita; esse é um erro gravíssimo da esquerda se imaginar isso, tudo que o judiciário reacionário está fazendo é martelando na sociedade o resultado, amortecendo o impacto. Como assim!? Sua candidatura será impugnada a posteriori***, de modo a lançar o poder nas mãos do seu vice, o Michel Temer, que tem relações históricas do PSDB (O PSDB nasceu do PMDB). Ora, um governo Temer seria um golpe suave que retiraria o PT do poder, ao mesmo tempo em que, por aliança ao PMDB, não poderá ir para as ruas protestar contra o golpe. Terá de admitir ser governado pelo PMDB e esperar quatro anos para tentar novas eleições. Obviamente, o Temer exigirá do PT o apoio para sua reeleição, serão oito anos de governo do PMDB com um PT dócil e um PSDB tentando retomar seu espaço, o que será facilitado pelas relações de amizades históricas entre Michel Temer e o tucanato, além da ação permanente da midia com a qual Michel Temer não tem nenhum pendor heróico em querer enfrentar, e convenhamos, nem mesmo Lula e Dilma a enfrentaram.

Que todos os trabalhadores fiquem de sobre aviso, esse é o golpe – não há outro. Se o governo e a sociedade mobilizada não se adiantar na luta pela desconcentração da mídia e democratização do judiciário, nossa democracia estará sempre a um passo do abismo – e isso não se trata mais de uma hipótese, mas de fatos publicados, não se trata de declarações, mas de ações efetivas noticiadas(*,**,***).

Quem não se lembra do slogan lacerdista contra JK? “Não pode ganhar; se ganhar, não deve tomar posse; se tomar posse não deve governar”. Estamos na primeira sentença: “não pode ganhar”, e para tal, usam toda sua artilharia caluniosa contra a Dilma e a favor do Serra. Mas se mesmo assim ganhar, como está parecendo, o “se ganhar não toma posse” cabe a Sandra Cureau**, que já deixou publicado em todas as mídias como aplicará a sentença (impugnação de candidatura)**. Mas se mesmo assim ela tomar posse? Como aplicarão a terceira sentença? Não há resposta, porque acreditam que a Sandra Cureau resolverá já na segunda sentença***.  Inclusive, ela já abriu o seu voto****.

Fonte:

Anúncios

Written by ocommunard

21 de julho de 2010 às 1:35

Publicado em Política

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: