Communard

Políticas, economias e ideologias

Carta aberta: contra o stalinismo no Portal Vermelho

with 8 comments

Olá camaradas,

Venho aqui para lamentar, denunciar e criticar aquilo que imaginei que representasse as brumas escatológicas do passado do PCdoB, o stalinismo. É totalmente e até cientificamente explicável(segundo a teoria da ideologia de Marx) a adesão a essa corrente, principalmente na vigência desse tirano no poder(que teve como um dos crimes tentar influenciar e manipular o movimento comunista internacional com um sucesso que é lamentável pelos resultados). Também ainda se consideraria desculpável que sob a vigência da URSS  por ignorância, ingenuidade e inércia se alimentasse o culto a Stalin, ainda que refutável. Mas hoje, stalinismo hoje é um ato deliberado de traição ao comunismo, ao marxismo e ao proletarido; é uma ofensa, é como pisar e cuspir nos corpos de muitos revolucionários que foram expurgados por Stalin. É pisar e cuspir nos milhões de russos que lutaram pelo socialismo mais foram deportados para os Gulags por criticarem Stalin. E pisar e cuspir em Maiakovisky, a alma da revolução, que tirou a própria vida para não se submeter a censura stalinista no início da fase “áurea”. 

Adianto que tentarei ser o máximo telegráfico possível. Mas que o assunto exige profundidade.

Vocês ressucitaram o velho corolário de sofismas stalinistas pseudo-comunistas e pseudo-marxistas no http://www.vermelho.org.br/base.asp?texto=43949, vou aqui responder criticamente todos os tópicos, e peço que esse texto seja publicado. Caso não, saberei que o que chamam de “democracia proletária” é do mesmo nível sofístico do que tratava Stalin. Primeiramente, tenta transformar toda crítica a Stalin em propaganda anti-comunista. O mesmo era acusado os trotskistas, que em tese também caíram com a ex-URSS. É a manipulação mais superficial e de tal forma estúpida que não vale a pena comentar. 

Depois trata de reavivar a moribunda tese de que um homem só, Gorbatchov, teria traído e derrubado o socialismo. É tão equivocada quanto a tese de Trotsky de que um homem só, Stalin, teria traído e derrotado a revolução. É irônico como os stalinistas sempre acabam se apropriando do trotskismo ao mesmo tempo em que o demoniza. Isso ocorreu com a tese de “acumulação primitiva socialista”, que em termos marxista é um sofisma, mas que por seu pragmatismo foi efetivo. Essa tese basicamente defendia uma relação “desigual” nas trocas entre a cidade e o campo, para dessa “diferença” acumular para financiar a industrialização da Rússia; e defendeu também a coletivização agrária. Stalin, enquanto o cabeça do reacionário campesino(vide 18 de Brumário de Luís Bonaparte) demagogicamente denunciou que Trotsky estava contra eles. Porém, como a crise persistia, e com Trotsky totalmente já desmoralizado, foi justamente praticando essa tese e de forma mais brutal do que o pretendido que o “período áureo” de Stalin(como gostam os stalinistas) gerou o grau acelerado de desenvolvimento – ou seja, industrialização. 

O repertório “marxista-leninista”(invenção de Stalin, que basicamente se tratava de divinizar Lênin e se colocar como seu herdeiro) é até desmascarado quando reconhecem que a tal da “segundo economia”, ou seja, o espaço para o capital privado, iniciou-se na NEP. Em suma, resumem tudo a decisões pessoais de comandantes, e aonde está o materialismo dialético histórico nisso? Das duas uma, ou os stalinistas estão certos ou Marx. Isso está submerso em toda a entrevista, mas como tabu. E os stalinistas sempre resolvem colocando essas “diferenças” como pequenas falhas do marxismo.

Mas qual a relação entre o bolchevismo em geral e o marxismo? A única vez que Marx tratou de uma possível revolução russa e sua conseqüência socialista, ele se referia a possibilidade de que a revolução russa libertasse a Europa do peso reacionário do czarismo, e por outro lado despertasse e estimulasse a revolução na Europa, só a partir dela a Rússia conheceria o socialismo tão cedo. Essa era a tese bolchevista até a derrota da revolução alemã. Uma vez que isso não ocorreu, por uma série de fatores históricos gerada pelas derrotas na luta de classe pelo proletariado, passaram a costurar o que hoje se entende por bolchevismo.

Marx já apresenta toda a crítica possível ao bolchevismo e ao stalinismo em especial:

1) a teoria do partido de Lênin é criticada por Marx na sua crítica ao blanquismo que defendia exatamente a mesma concepção de elite revolucionária messiânica(ou dirigista, ou substituísta, etc).

2) a crítica a teoria de socialismo de Estado Marx e Engels realizam na crítica a Lassalle e em várias obras. Destacaria aqui a Guerra Civil em França, 18 de Brumário de Luís Bonaparte e Do Socialismo Utópico ao Socialismo Científico.

3) a teoria voluntarista revolucionária defendida pelos bolchevista, em oposição a teoria determinista reformista(inercial) defendida pela social-democracia, já havia sido um dos principais focos de crítica de Marx. Para ele a revolução era um epifenômeno objetivo e econômico, era a contradição entre forças de produção e relações de produção. Dessa forma, une-se aí claramente a concepção objetiva e subjetiva que essas duas alas fundaram a cisão.

4) a análise marxista contemporâneo afirma a experiência russa e as revoluções do século XX em geral foram nada mais e nada menos do que um neojacobinismo ou um jacobinismo anacrônico(capitalismo retadatário). Realizaram uma acumulação primitiva(revolução capitalista, ou transição do feudalismo ao capitalismo). A grande intervenção do Estado não segue nenhuma originalidade, porque sempre foi assim em todas “acumulações primitivas”, e a apropriação da ideologia socialista, que justifica o “neo” na frente de “jacobino”, também representou parte da ideologia dos capitalismos retardatário. Como o prova o período de Bismarck que flertou com o socialismo ou vice-versa.

5) essas experiências se diferenciam não pela estatização da economia, o que muda apenas na proporção(pois em toda economia capitalista tem capital público e capital privado, e o capital público é o que assegura o aventurismo do capital privado, como prova os fatos recentes). Se assim for, devemos admitir a ótica americana de tratar como socialismo qualquer forma de estatização, regulação e intervenção na economia – tese dos republicanos reacionários. 

6) Marx apresenta várias versões de socialismos em o Manifesto Comunista, e defende um pluralismo político – o que se opõe a velha defesa jacobina de ditadura do partido único.

7) A social-democracia tem muito mais proximidade com o movimento proletário do que o bolchevismo, a social-democracia é possível em razão da incorporação de alguma planificação/regulação via Estado democrático sobre a economia – o que absorveria algumas questões socialistas. Não se esqueçamos que Marx e Engels eram integrantes ativos do Partido Social-Democrata Alemão, ainda que críticos. Já o bolchevismo segue apenas na retórica o socialismo científico. O método de hermenêutica históica é tratado sempre como resultado de voluntarismo político dos dirigentes que detém o poder – o velho individualismo/subjetivismo/bonapartismo burguês.

9) Os bolcheviques usurparam os sovietes, primeiramente quando Lênin acaba com os comitês de fábrica(que era a própria essência de uma democracia direta proletária) impondo o burguesíssimo sufrágio universal que acabou por se tornar um mero parlamento impotente. Depois com Trotsky estatizando a guarda vermelha como exército vermelho – o povo em armas retroagiu a assalariados públicos do Estado. Depois acumulando todo o poder de governo nas mãos do secretário geral do partido, ao invés dos sovietes – essa proeza Stalin levou até as últimas conseqüências, apesar de seu pioneirismo ser leninista.

10) Socialismo com mercado, capital, moeda e assalariamento? Como é possível? Sabemos que foi na tese do nacional-socialismo(socialismo de um país só) de Stalin que se difundiu por todas as partes a idéia de que a Rússia era socialista, pois primeiramente a tese era de que passavam uma fase de transição(ditadura do proletariado, na verdade, uma ditadura de partido). Para Marx a fase socialista se realiza no fim da sociedade classes e paralelamente o fim do Estado.

Em o Manifesto do Partido Comunista(que Lênin diz resumir uma biblioteca inteira, talvez diga isso porque tem um receituário estatizante que nos próprios prefácios é colocado como anacrônico frente aos acontecimentos da Comuna de Paris; e não é só isso que Lênin ignora), diz Marx que mesmo se as revoluções não tiverem um conteúdo socialista, os comunistas o apoiarão, o que é coerente com a concepção dialética da história. Sei que mais uma vez os stalinistas acusaram os proletários não-stalinistas de anti-comunistas, contra-revolucionários, e coisas do tipo. Hoje essa máquina de propaganda chamada URSS não existe mais. A própria China só tem por comunista o nome, e a cada vez mais deixa revelar que o materialismo dialético histórico de fato, interpreta corretamente aqueles fenômenos, enquanto neojacobinismo, acumulação primitiva, e uma certa hibridez. Mas os jacobinos também se achavam defensores do povo.

A revolução russa foi produto do povo russo, não foi o partido bolchevique que a realizou, mas se houve uma organização social que o liderou foi o soviete. Será que a palavra de ordem “todo poder aos sovietes” de Lênin não revela nada? Será que ela já não incriminaria o regime burocrático que a usurpou centrado na acumulação de poder do secrétario geral do partido? Será que hoje, com todos os documentos em aberto, o stalinismo não seria mais do que um equívoco, mais uma traição inequívoca da luta comunista?

Em resumo se poderia colocar como elemento essencial de oposição entre a teoria do socialismo científico e a teoria bolchevista em duas concepções: para Marx a emancipação do proletariado é tarefa do proletariado, para Lênin a emancipação do proletariado é tarefa do partido de vanguarda. 

P.s.: Hoje vocês sofrem na pele a tática monopolizadora de um partido proletário em Rio Grande do Sul, sofrem com o PT. É ironico, e há sempre ironias nesse caso, que a ala anti-stalinista DS(trotskista) ataque de modo stalinista os stalinistas(PCdoB). Como ficará o PCdoB nessa situação? Critica a teoria do partido único ou defenderá o pluralismo político no proletarido? Ou vai ter que rever em nome do pluralismo partidário proletário que Marx defende em o Manifesto? Ou fará isso sem fazer a crítica do stalinismo… é, como Marx já dizia, uma coisa é o que a pessoa é, outra coisa é o que ela pensa sobre si mesma – alguns partidos não sabem fazer essa separação.

É isso, os jacobinos preferem bonaparte. Ainda sou grato pelo grande serviço de informação que fazem, quando não se deixam levar pelas ilusões sanguinárias que defendem. Talvez seja uma auto-crítica demasiado forte, talvez não seja capaz de existir um PCdoB sem sua catequese stalinista. Como proletário combatente, espero que se torne algo mais do que stalinistas, o que conseguem muitas vezes. E assim, realizar uma grande contribuição para a causa.

Saudações comunistas.

Anúncios

Written by ocommunard

26 de setembro de 2008 às 16:02

Publicado em Ideologia

8 Respostas

Subscribe to comments with RSS.

  1. Saudações anticomunistas, vc deveria dizer!

    Lúcio Júnior Espírito Santo

    28 de março de 2012 at 14:27

    • Porque?

      ocommunard

      2 de abril de 2012 at 1:41

      • Porque as acusações a Stálin naõ resistem a uma análise e pesquisa histórica mais aprofundada. Leia Kruschev Lied, de Grover Furr.

        Lúcio Jr

        21 de janeiro de 2013 at 15:31

      • que análise histórica? fique a vontade para argumentar…

        ocommunard

        22 de janeiro de 2013 at 0:30

  2. Olá, senhores editores de O Communard. Escrevi uma carta ao senhores e gostaria de um email através do qual me fosse possivel envia-la.

    Abraços

    Ícaro Leal Alves

    21 de janeiro de 2013 at 21:32

  3. Ícaro Leal Alves

    21 de janeiro de 2013 at 22:51

    • publicarei sua carta aqui

      ocommunard

      22 de janeiro de 2013 at 0:31

  4. Communard: vc é um social-democrata, isso fica óbvio em sua análise, vc não é marxista, procure um partido social-democrata. Dica: social-democrata no Brasil é Vargas e Brizola. O resto é piada e farsa. Marx é um revolucionário, quer fazer revolução socialista. Vc poupa Marx –um Marx que é vc, é um canalha liberal –e ataca Lenin, o partido bolchevique com argumentos anticomunistas. É sempre assim. Depois dizem que Stalin não é leninista. Saia fora do Pc do b, assim vc o transformará num PPS.

    Abs do Lúcio Jr.

    Lúcio Jr

    22 de janeiro de 2013 at 13:29


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: