Communard

Políticas, economias e ideologias

Sovietes versus bolcheviques: revisão conceitual historiográfica

leave a comment »

Algumas questões que tratarei aqui, já desenvolvi algumas no ensaio Neojacobinismo: a autocrítica comunista. Há hoje um interessante material historiográfico e documental aberto da ex-URSS, graças a sua queda. E ele é com certeza o ponto de partida para o debate comunista atual, que não queira permanecer nas obscuras teias do stalinismo. Ele permite uma questão já realizada por muitos marxistas contemporâneos sobre a revisão conceitual da historiografia, muito influenciada seja pelas ideologias anti-bolchevistas da direita ou das pró-bolchevistas das ex-esquerdas e de algumas ainda. Quero adiantar que aqui fundamentalmente faço difusão do que muitos teóricos já realizaram(principalmente na coleção História do Marxismo), apenas em detalhes contribuo.

I – A TEORIA E A PRÁTICA : DESCONSTRUINDO LÊNIN

Diferente do que reza a cartilha stalinista, os sovietes entraram em profundo confronto com os bolcheviques, em reação as estratégias de acumulação de poder iniciada pelo partido bolchevique. A conhecida palavra de ordem de Lênin “todo poder aos sovietes” foi na prática um embuste em nome da onipotência bolchevista, respaldada por sua teoria de partido. Sua teoria de partido de vanguarda é o seguinte: 1. o expontaneísmo proletário levará no máximo a um sindicalismo. 2. cabe então ao partido de vanguarda(o bolchevique) conscientizar para o socialismo/comunismo por fora, isso quer dizer segundo ele, deve “dirigir” o proletariado. 3. Tautologicamente afirma que o partido de vanguarda são as camadas mais avançadas do proletariado, apesar de ele mesmo jamais ter sido um.

Os fatos da própria revolução russa descartaram essa tese. O proletariado russo organizou espontaneamente os sovietes, a maior contribuição teórico-prática legada pela revolução russa. Espontaneamente o proletariado russo criou os sovietes, nem sindicalismo nem partidarismo.

II – REVISÃO CONCEITUAL DA HISTORIOGRAFIA

1. Revolução bolchevique -> Revolução Soviética
A expressão “revolução bolchevique” é geralmente designada para diferenciar em essência a Revolução de Fevereiro(1917) e da Revolução Branca(1905). Também é conhecida como Revolução de Outubro, que nesse caso não apresenta nenhum equívoco conceitual. O paradoxo é que se a intenção é apresentar a organização que protagonizou a revolução, sem dúvida, o termo correto deveria ser “revolução soviética”, pois foram os “conselhos de operários e soldados” que de fato realizaram a revolução, ainda que de praxe o termo devesse ser definido como “revolução russa”, pois são os povos que fazem revoluções. Por isso, a neutralidade do termo “Revolução de Outubro” não compromete o sentido.

É importante frisar que os mencheviques já havia muito antes apoiados os sovietes, enquanto que os bolcheviques hesitaram em razão de se auto-reconhecerem como “a vanguarda” plena e última. No entanto, com o descontentamento permanente com o regime parlamentarista instituído na Revolução de Fevereiro, havia uma pressão dos sovietes para assumirem o poder(exigia que o exército os obedecesse ao invés do Estado). Primeiramente, todos os partidos foram contra, e a tese era na versão menchevique a de que a fase era da “revolução burguesa”, pois a Rússia não realizara ainda a fase capitalista, e que caberia aos sovietes agirem como oposição tática sem jamais almejar o poder. Porém, em um dado momento, com o acirramento dos ânimos, os bolcheviques apóiam a pretensão lançando a palavra de ordem: “todo poder aos sovietes”. Depois disso, os sovietes se organizaram para a insurreição e depuseram o governo vigente, seguida pela guerra civil. 

2. Regime Soviético(URSS)  -> Regime Bolchevique/Neojacobino

A expressão “regime soviético”, coadunada com a autodenominação União das Repúblicas Socialistas Soviéticas, é bem mais estabelecido que o último conceito, porém, é bem mais equivocado. Sabendo que o partido bolchevique operou nada menos do que um golpe dentro dos sovietes, no abandono do que se mostrou seu maior embuste: “todo poder aos sovietes” era na verdade “todo poder aos bolcheviques”. Ou, se quiser uma conceituação mais extensa e com pretensões científicas, seria: regime neojacobino. Pelas peculiaridades comuns as revoluções do século XX(maioria camponesa, capitalismo retardatário, capitalismo de ideologia socialista, economias periféricas, etc.), e pelas transparentes identidades com o regime jacobino francês ou com todos os regimes políticos pós-revolucionários da burguesia(como o regime de Cromwell). 

3. Socialismo -> Capitalismo de Estado / acumulação primitiva.

Esse debate creio estar mais definido, porque já está muito difundido de que o socialismo da ex-URSS era somente um capitalismo de Estado, e para isso é importante relembrar a condição feudal da Rússia(ou predominantemente feudal) para perceber o caráter necessário desse Estado. Reconhecendo que o que a Rússia realizou foi uma transição para o capitalismo, portanto, uma acumulação primitiva; essa fase histórica sempre se desempenhou com um Estado forte, intenso, intervencionista, e sempre com forte teor sanguinário. Não há justificação para os extremos do stalinismo, mas a acumulação primitiva(ou em outros termos, as dores de parto do capitalismo) sempre foi banhada de sangue. O caráter neojacobino desse processo se deu com as peculiaridades dessa acumulação primitiva, ou seja, a predominância da ideologia socialista(importada da Europa) e o caráter retardatário desse processo.

Polemicamente podemos retratar que, não há economia socialista com mercado, moeda, assalariamento e, sobretudo, capital; seria uma contradição em termo. Segundo, a tese de que a URSS era socialista partiu do desmascarado ideólogo Stalin, pois Lênin e Trotsky defendiam que a URSS estaria em transição ao socialismo, mas não era socialista (a fase socialista segundo Marx se inicia com o fim do Estado). Em suma, a Guerra Fria que era reportada como socialismo x capitalismo, era apenas o conflito de duas potências imperiais querendo garantir seus interesses em zonas de influência militar e econômica, com forte teor ideológico.

4. Revolução = Regime -> Revolução e Regime

As revoluções se confundem com os regimes pós-revolucionários, o processo da revolução que é realizada como protagonismo social e sem nenhuma forma representativa, entra em decadência na fase em que se estabelece um regime que se baseia justamente no “amortecimento” social estabelecido pelo “esgotamento físico e psíquico” gerada pelas perdas materiais e humanas na guerra civil e também através de forte terrorismo, genocídio e propaganda do novo regime ascendente. A ascendência do regime(jacobino) é a prova do esgotamento e os limites históricos da revolução que é em essência capitalista. 

III – CONCLUSÃO

Concluindo, a URSS era um regime ditatorial, o lema jacobino de “despotismo da liberdade” define bem o caráter real e ideológico dessa fase. Claro que sua sustentação estava na acumulação primitiva que realizou que gerou uma prosperidade socialmente sustentável e que colocou para a posterioridade um capitalismo avançado, que em termos científicos, estaria só aí maduro para as transformações socialistas de fato.  Quando a prosperidade cai, o frágil equilíbrio políticos desses regimes evapora no ar, os levando a uma queda inevitável. A Rússia é um exemplo disso, na China quando passou por dificuldades econômicas viu nascer oposições como no protesto da Praça da Paz Celestial, e que hoje em seu pragmatismo econômico busca se manter no poder. Muitas águas rolarão no debate sobre essas transformações conceitual-historiográficas, muito teóricos já a realiza dentro do marxismo, essa “desideologização” é parte fundamental para a retomada consciente do processo de emancipação proletária e do resgate e desenvolvimento do socialismo científico.

Anúncios

Written by ocommunard

15 de setembro de 2008 às 13:59

Publicado em Cultura

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: